O golpe eleitoral de Ricardo Salles do Partido Novo

Por Eduardo Bottura

Ricardo de Aquino Salles é o vice campeão brasileiro em doações eleitorais, com mais de R$ 1,2 milhão arrecadado[1].

O MPE pede sua condenação em R$ 70 milhões por atos de improbidade administrativa que (segundo o MPE) cometeu adulterando mapas para a aprovação de projetos de ricos financiadores como Secretário do Meio Ambiente (doc. 1).

Ricardo Salles também é processado pelo MPE por (segundo o MPE) atos de vandalismo contra o patrimônio público (doc. 2), investigado (segundo a Polícia e o MPE) por avocação de inquéritos e coações de peritos (doc. 3), “negociatas” na JUCESP (doc. 4), simulação de processos administrativos (doc. 5), advocacia administrativa (doc. 6), tráfico de influência e exploração de prestígio (doc. 7), blindagem de um núcleo de advogados contratados para fraudes em escala em processos (doc. 8), mortes e tiros suspeitos, com representação pela quebra de seus sigilos bancários, fiscal, telemático e telefônico (doc. 9), além do MPE pedir a busca e apreensão de seus celulares, PCs, etc. (doc. 10).

Na eleição de 2012, Ricardo Salles declarou ter R$ 1,4 milhões em patrimônio (doc. 11), onde R$ 1,3 milhões eram aplicações financeiras, que não tinha mais em julho de 2014, conforme ação revisional de alimentos que ele ajuizou para explicar os motivos pela inadimplência da pensão de seus únicos filhos, da ordem de R$ 3 mil por mês (doc. 12), pois sua única renda era um salário de R$ 11 mil e não tinha mais as aplicações (que declarou ter no ano de 2012).

Ou seja, no final de 2014, Ricardo Salles possuía patrimônio negativo e ganhava R$ 11 mil por mês. Agora, sem qualquer explicação além do cargo relâmpago de Secretário, ele declarou patrimônio ao TSE de R$ 8,8 milhões (doc. 13).

Como que o demitido Secretário Estadual do Meio Ambiente, por supostamente ter transformado a pasta em um escritório de advocacia[2], ganhou R$ 9 milhões (oficiais) em três anos?

Por que empresários estão investindo mais de um milhão em um candidato com esse “perfil” e a troco ou troca do que?

A resposta é um golpe eleitoral: ao meio de vários nomes sem estrutura, Ricardo Salles precisa apenas ser o mais votado do Partido Novo, para ser nosso novo Deputado; já que conta com os votos da legenda do Partido Novo, que atrairá desinformados para eleger nosso novo Eduardo Cunha.

Por Eduardo Bottura


[1] https://politica.estadao.com.br/noticias/eleicoes,candidatos-novatos-a-camara-dos-deputados-recebem-...

[2] https://www.revistaforum.com.br/ex-secretario-de-alckmin-teria-transformado-pasta-em-escritorio-de-a...

Siga-nos no Twitter!

Comentários

Mais em Opinião