Pelo acúmulo de mentiras, pelo jogo sujo dos inimigos, pela perseguição implacável das mídias, vou de Jair Bolsonaro

Até agora meu voto para presidente era João Amoêdo.

Era? Sim. Vejamos:

CENA 1: As mídias sociais explodiram esta tarde com a notícia publicada na Folha de que Bolsonaro teria ameaçado de morte sua ex-esposa em 2011.

O Jornal Nacional acaba de mostrar a fala da ex-esposa dizendo que não houve nada disso, que “estão pegando pesado”, que Bolsonaro tem uma amor imenso pelos filhos e nunca a ameaçou pois “não tem índole para isso”.

CENA 2: Passei a tarde de hoje no hospital Albert Einstein acompanhando minha esposa em exames, e conversei com enfermeiros que atenderam Bolsonaro. Perguntei se ele atrapalhou a vida deles e a resposta foi: “Pelo contrário. Até o pessoal da UTI que não ia votar nele, mudou de ideia. No hospital não tem jeito, a pessoa mostra quem ela é de verdade, e fomos vendo no convivio diário como ele trata as pessoas, a família. Vimos como ele é sem interferência da mídia. Não é nada daquilo.”

CENA 3: Viajo o Brasil todinho, o ano todo, em media três vezes por mês, palestrando. E há mais ou menos um ano falo com os motoristas de Táxi e Uber, balconistas, recepcionistas, garçons, enfermeiros e todo tipo de gente que não é do meu círculo social e que faz parte do "povão". De cada 10 aos quais pergunto em quem vão votar, 8 dizem "não sei... tá difícil...".

Então faço uma abordagem que deixa claro que não sou hostil às pessoas que dizem votar em Jair Bolsonaro. Pronto. Dos 8 que diziam que não sabiam, 7 revelam que pensam no Bolsonaro mesmo. Isso vem se mantendo de forma consistente há pelo menos seis meses. É o voto (ainda) envergonhado, ou melhor, tentando evitar conflitos, no Bolsonaro.

Por isso, a todas as pesquisas que recebo, mentalmente acrescento de 15 a 20% para Bolsonaro. Onde diz que ele tem 20%, para mim tem 35/40%. É com essa perspectiva que tenho trabalhado

Parou de gritar? Então ouça: meu voto até a matéria do Jornal Nacional era do João Amoêdo.

Pelo acúmulo de mentiras, pelo jogo sujo dos inimigos, pela perseguição implacável das mídias, pela violência e sacanagem que estão fazendo com Jair Bolsonaro, e por acreditar que ele é muito melhor preparado que VcSabeQuem e Dilma eram, para enfrentar os tempos difíceis que vêm pela frente, estou mudando meu voto para ele.

Vou de Jair Bolsonaro.

Este não é um post para argumentar, não vou discutir o assunto, muito menos fazer militância. Estou me posicionando dessa forma porque ESTUDEI, PENSEI e FIZ MINHA ESCOLHA. E a gota d’água é a indignação com a canalhice dos que não têm limites

Se a sua escolha é outra e seu candidato vencer, vou torcer para que faça o melhor governo possível.

Posso ser politicamente míope, ingênuo e até ignorante, mas não sou burro.

Luciano Pires

Siga-nos no Twitter!

Comentários

Mais em Opinião