Matéria difamatória é demonstração de como vai agir o conluio formado por PT, PSDB e Grande Mídia

Ataques de baixíssimo nível, aliança explícita com o PSDB e cobertura total da grande mídia, são esses os ingredientes da campanha adotada pelo PT para tentar recuperar a presidência de República e dar continuidade ao seu projeto de poder.

O poder pelo poder. Não vão medir esforços. Vale-tudo.

FHC defende com carinho o petista Haddad. Ambos, se adoram.

Geraldo Alckmin já está inserido nesse projeto. PT e PSDB sempre foram coirmãos.

Por outro lado, a matéria difamatória envolvendo a ex-mulher de Jair Bolsonaro, foi encomendada a uma jornalista com pedigree altamente petista, segundo informação que circula nas redes sociais.

Neste aspecto, tem sentido o que disse o ator Carlos Vereza.

“A estrutura comunista já está armada em nosso país.
As ‘pesquisas’ são para dar um ar de ‘normalidade’ à uma democracia que só tem a aparência.
Judiciário, Executivo, Legislativo. Tudo uma aparência para dar a ‘legitimidade’ de que as regras do jogo estão sendo respeitadas.
Preparem-se: daqui até o dia 7 de Outubro baixarias inacreditáveis serão empregadas. O dinheiro que veio da Guiné é fichinha perto do que está sendo despejado na campanha do presidiário.
Pelos nossos filhos temos que aumentar o apoio a Bolsonaro.
É mais que uma rotineira eleição: é o futuro democrático do país que será posto em questão!
Carlos Vereza"
É claramente uma disputa entre “Todos” contra “Eles”.

Onde “Todos” querem o fim da luta contra a corrupção, o extermínio da Operação Lava Jato e um grande “acordão” nacional onde a impunidade generalizada seria distribuída para toda a classe política.

Otto Dantas

Articulista e Repórter
otto@jornaldacidadeonline.com.br

Siga-nos no Twitter!

Mais de Otto Dantas

Comentários