Ofensa aos médicos brasileiros - Médicos comunistas comparam colegas que irão votar em Bolsonaro com médicos nazistas

Já escrevi, já denunciei anteriormente, que um grupo de canalhas petistas formados em Medicina (bem como de estudantes cooptados pelo Partido) está escrevendo barbaridades em redes sociais desmerecendo e envergonhando ainda mais (se é que isto ainda é possível) a imagem da profissão perante à população brasileira.

Volto hoje para denunciar uma página do Facebook que se apresenta como “Médicos pela Democracia”. Esta corja publicou, no dia 19 de setembro, um texto chamado “Médicos e Nazi-fascismo: uma conversa Necessária”.

Em resumo trata-se de uma sequência de bobagens e lugares-comuns sobre o Nazismo, um preâmbulo que serve, no fim, ao propósito de fazer uma “alerta” porque, segundo os canalhas, “o que inicialmente era apenas o "ódio ao PT" tornou-se uma profissão de fé em defesa de conceitos que se aproximam do nazi-fascismo: superioridade, elitismo, descolamento da sociedade e dos interesses da maioria.”

Sim: em parte eles tem razão – a gigantesca maioria dos médicos brasileiros (incluindo eu mesmo) tem verdadeiro NOJO, verdadeiro ÓDIO de Vagabundos Petistas, do PSOL e PC do B. Sabendo disso, a malta do “Médicos pela Democracia” pode fazer a associação que bem quiser, mas não vai ficar sem resposta.

Vejam aqui a “audácia”, o atrevimento dessa súcia: em primeiro lugar ELES mesmos definem o que foi ou não foi o Nazismo; depois comparam a situação da Alemanha antes da Segunda Guerra Mundial com a do Brasil. Não satisfeitos com isso, eles se apresentam como gente que conhece e fala em nome dos “interesses da maioria” e, no fim de tudo, dizem que os colegas que vão votar em Bolsonaro estão aderindo às bandeiras racistas, machistas, misóginas e desumanas (bastante acentuadas, segundo eles, nas últimas declarações do General Mourão) do “candidato fascista” (Jair Bolsonaro).

Em virtude desta “adesão ao fascismo” por parte de seus colegas, o “sinal de alerta deles” (os médicos “democratas”) foi “ligado”.

Eu perguntaria, em primeiro lugar a estes facínoras (se é que são médicos), onde eles detectaram uma “adesão” dos médicos brasileiros à “ideia de uma raça superior” (no caso do Nazismo) e onde está o apoio da parte da classe médica que vai votar em Bolsonaro ao “Estado Corporativo” de Benito Mussolini?
Vejam o que faz a mistura de ignorância, fanatismo e comportamento de capachos do Foro de São Paulo: estão desesperados perante à perspectiva de perderem os cargos de confiança, as verbas para pesquisas sem importância alguma do ponto de vista da saúde pública e as mamatas que lhes permitem ganhar dinheiro dentro da Universidade deixando os alunos de Medicina sozinhos sem supervisão NENHUMA dentro dos Hospitais Escolas!

Essa camarilha, esta verdadeira escumalha, essa vergonha da classe médica brasileira que apoiou Lula e Dilma, que bateu palmas para vinda de falsos médicos cubanos tem os dias contados!

Agora, em pleno desespero, resolveu atacar quase quatrocentos mil médicos brasileiros e resolveu compará-los com os médicos nazistas do grupo de Josef Mengele! Ao fazê-lo, ofende a memória de milhões de seres humanos que morreram na Segunda Guerra Mundial e dos milhares de médicos alemães e italianos que, sob risco de serem presos ou assassinados, se insurgiram contra Hitler e Mussolini.

Mais do que isso: esta cambada do “Médicos pela Democracia” ofende milhares de médicos brasileiros no seu direito de votar em quem quiser e dá uma bofetada na cara das pessoas que estão morrendo como bichos nas UPAS e postos de saúde controlados pela ralé comunista que infesta a saúde pública no Brasil e que DESTRUIU a Rede Hospitalar.

Nem mesmo os psicopatas nazistas formados em Medicina como Josef Mengele tiveram a audácia de trazer falsos médicos para dentro do Terceiro Reich, de transformar a Alemanha numa UPA comandada por Vagabundas Petistas disfarçadas de enfermeiras e de desviar BILHÕES de marcos para saúde da Itália ou do Império Japonês. As aulas nas faculdades de Medicina da Alemanha Nazista não eram proferidas por maconheiros, militantes gays, lésbicas, macumbeiros, vagabundos e corruptos comunistas de todos os tipos.

A diferença entre os médicos alemães assassinos do Terceiro Reich e desta gentalha, desta caterva do “Médicos pela Democracia”, é que eles SABIAM o que era a verdadeira Medicina e faziam uso dela para praticar tortura e causar a morte em nome de um delírio genocida de Adolf Hitler – este lixo que empesta a Medicina Brasileira não tem conhecimento de coisa alguma e não seria capaz, nem mesmo, de reproduzir os crimes de Mengele.

Trata-se apenas de uma legião de imbecis, de recalcados e fanáticos sem conhecimento técnico de coisa alguma.
Trata-se de gente que dá e assiste aulas de Medicina sentada no chão e pensando só na festa em que depois vão fumar maconha e dar a bunda “por um mundo e uma sociedade mais justas”. Seus ídolos, seus professores e grandes mestres são imbecis que fizeram a mesma coisa na NYU e depois postaram fotos tomando café no inverno de NY segurando cartazes contra Donald Trump.

Ontem, eu mesmo fiz um pequeno texto para ser publicado nas Redes Sociais pedindo ao Presidente do Conselho Federal de Medicina que se manifeste oficialmente em relação ao que esta choldra petista (mais uma) está escrevendo sobre os colegas.

Vamos ver se vai haver resposta do CFM. Resposta MINHA eu juro que estes bandidos SEMPRE vão ter - "Nazistas", seus desgraçados, são vocês!

Todo Petista é um Nazista que toma cachaça ao invés de champanhe, que se dá bem com judeus democratas de NY e que prefere transar com rapazes lindos ao invés de prostitutas francesas!

Milton Pires

Médico cardiologista em Porto Alegre

Siga-nos no Twitter!

Mais de Milton Pires

Comentários

Notícias relacionadas