PT caminha para derrota pior que a de 2016

É bem possível que o desempenho petista se iguale ao pleito de 2016 ou seja ainda pior e mais desmoralizante.

Nos estados importantes do país, a surra promete ser generalizada, com a derrota de algumas figuras que antes demonstravam um grande favoritismo, caso da ex-presidente Dilma Rousseff.

O voto anti-PT deve ser decisivo no pleito deste domingo.
Até mesmo no pequeno estado do Acre, onde o PT mantém a hegemonia da política há muito tempo, pode perder. O candidato do PP Gladson Cameli tem chances de vencer no 1º turno e o senador Jorge Viana, corre o sério risco de não ser reeleito. Está em terceiro nas últimas pesquisas divulgadas.

Em Minas Gerais, o desempenho de Fernando Pimentel está horroroso. Em grande desvantagem em relação ao tucano Antonio Anastasia e com o candidato do NOVO, Romeu Zema, em seu encalço. Caso haja 2º turno pode ficar de fora. Dilma Rousseff está em queda e pode amargar uma das mais significativas derrotas do PT no país.

Situação semelhante a de Eduardo Suplicy em São Paulo, que vê o crescimento galopante de Mara Gabrilli (PSDB) e Major Olímpio (PSL).

No Rio de Janeiro, Marcia Tiburi tem desempenho medíocre e Lindbergh Farias deve ser derrotado por Flávio Bolsonaro e César Maia. É outra derrota expressiva do PT.
E assim, segue o jogo em todos os demais estados do país.

Vale dizer que a mais recente pesquisa detectou que 59% dos brasileiros querem que Lula permaneça preso e cumpra a sua pena. O resultado leva a crer que mesmo que Lula fosse o candidato, a derrota seria inevitável.

Assim, mais do que um simples revés eleitoral, o atual pleito deve marcar o fim do PT. Com Lula preso e a derrota de suas principais lideranças, é de se duvidar que o PT consiga sobreviver.

É a vitória do Brasil contra esta terrível Organização Criminosa.

Otto Dantas

Articulista e Repórter
otto@jornaldacidadeonline.com.br

Siga-nos no Twitter!

Mais de Otto Dantas

Comentários

Notícias relacionadas