Bolsonaro ganhou, mas não levou. O que o PSL deve fazer pela lisura no 2º turno?

O que faltou para Bolsonaro obter 50% + 1 voto já no 1º turno, pode ter sido pelas irregularidades ocorridas em várias seções eleitorais (imaginem em municípios do interior longe dos holofotes), relatadas por diversos eleitores.

Dois relatos a serem apurados:

- Ao ser escolhido 17, não aparecia a tecla “confirma”. Surgia a palavra FIM de imediato.
- Ao teclar “1”, já aparecia o “13”. Um eleitor chegou a chamar a polícia.
Nada na imprensa.

Foi abafado pelo TSE? (*)

Minha vizinha esteve na Rua Manuel de Abreu (RJ) onde encontrou outros eleitores para registrar as ocorrências estranhas (tenho fotos de 3 registros efetuados no local e encaminhadas ao Juiz específico). Pelo padrão de “velocidade” de nossa justiça, a resposta pode demorar 15 anos. Será tarde demais?

O PSL não montou um plantão (por cidade) para conferir e fazer o alarde necessário.

A turma de ladrões certamente está ‘armando’ para o 2º turno?

Desta vez o PSL tem que se estruturar para minimizar estas “minas”?

Imagino que milhares de simpatizantes estão relatando fatos similares.

Imagino que estão tabulando tais fatos.

Imagino que farão algo concreto (e rápido) para evitar ao máximo as tramoias arquitetadas.

Boa sorte para nosso país.

(*) = Talvez saia uma nota dizendo que isto foi uma “falha mecânica” de um chip mal soldado. Alguém engole esta desculpa esfarrapada?

Haroldo Barboza

Matemático. Profissional de TI, autor do livro Brinque e Cresça Feliz.

Siga-nos no Twitter!

Mais de Haroldo Barboza

Comentários

Notícias relacionadas