O "efeito Bolsonaro" na economia

Com votação expressiva de Bolsonaro dólar cai ao menor valor em 2 meses e bolsa sobe quase 5%

O dólar comercial fechou esta segunda-feira (8) em queda de 2,35%, cotado a R$ 3,766 na venda, após o resultado do primeiro turno das eleições. É o menor valor de fechamento desde 8 de agosto (R$ 3,7658).

O mercado foi influenciado pelo resultado das eleições, com o candidato à Presidência Jair Bolsonaro (PSL) tendo uma votação expressiva no primeiro turno. Bolsonaro recebeu 46,03% dos votos válidos, enquanto o petista Fernando Haddad, que vai disputar com ele o segundo turno, ficou com 29,28% do total.

Investidores consideram que o candidato do PSL pode fazer um governo mais comprometido com o equilíbrio dos gastos públicos do que o petista.
Além disso, Bolsonaro conseguiu transformar seu partido, o até então nanico PSL, em uma potência parlamentar. O PSL conquistou a segunda maior bancada na Câmara dos Deputados, atrás apenas do PT. Isso tornaria mais fácil para o presidente aprovar medidas no Congresso.
"Mesmo que ele não tenha conseguido vencer no primeiro turno, Jair Bolsonaro e seus aliados tiveram uma exibição muito forte no primeiro turno das eleições... Vários candidatos apoiados por Bolsonaro tanto nas eleições estaduais como no Congresso registraram votações muito fortes", escreveram estrategistas do BTG Pactual em relatório a clientes.
O Ibovespa, principal índice da Bolsa Brasileira, fechou em alta de 4,57%, a 86.083,91 pontos, após duas quedas seguidas. É a maior alta percentual diária desde 17 de março de 2016 (+6,60%) e o maior nível de fechamento desde 16 de maio (86.536,97).

Com informações do UOL.

da Redação

Siga-nos no Twitter!

Notícias relacionadas

Comentários

Mais em Economia