Eu odiava o Bolsonaro!!! (Veja o Vídeo)

E eu não tenho vergonha e nem problema nenhum em admitir que era completamente manipulada.

Isso mesmo, odiava, no pretérito imperfeito, no passado. Eu não o odeio mais. Bastou 15 dias de estudo profundo sobre o mesmo para eu decidir meu voto: ELE SIM!

Eu mesma! Feminista, professora, casada, independente, dona do meu nariz e das minhas vontades, lotada de amigos e alunos gays, lésbicas, negros, pardos, brancos. Veja só você, eu vou votar no Bolsonaro. É totalmente possível saber separar o joio do trigo e ter discernimento suficiente para tal.

Vamos lá! Jair Messias Bolsonaro. Bolso. Capitão. Só o nome me fazia querer dar ânsia, era um ranço maior do que o ranço que eu tenho de comer pé de galinha, e eu detesto pé de galinha num grau que vocês nem imaginam.

Eu também compartilhava todas essas informações polêmicas que a maioria que é contra ele, segue compartilhando.

Eu também o acusava de machista, homofóbico, racista, torturador, fascista, entre tantos outros adjetivos esdrúxulos que a mídia manipuladora me fez acreditar serem verídicos.
Eu nunca tinha assistido UMA entrevista na íntegra dada pelo candidato. Eu apenas seguia o fluxo. Era conveniente, como mulher, encontrar num candidato à presidência tudo aquilo que sempre abominei num ser humano.

Ele era meu boneco de Judas. Era perfeito. E eu não tenho vergonha e nem problema nenhum em admitir que era completamente manipulada.

Só que aí, meus amigos, Bolsonaro deu sua entrevista pro Jornal Nacional. Não assisti ao vivo, mas fiz questão de assistir nas redes no dia seguinte o que, afinal, tinha a dizer esse homem “tão perigoso” para nossa população. E ali, pela primeira vez, meu cérebro deu um pequeno sinal de alerta. Dias depois, Bolsonaro levou uma facada em plena campanha política nas ruas, e aí meu cérebro deu alerta vermelho definitivo: alguma coisa estava muito errada. Afinal, quem eram os intolerantes?

Meus pais e grandes amigos defensores do Bolsonaro me pediam, encarecidamente, para dar uma chance de estudar o outro lado da moeda. Não apresentei resistência alguma em iniciar uma busca de informações sobre política, muito pelo contrário, eu estava feliz em ter percebido que de política eu pouco entendia, e continuo pouco entendendo, mas um pouco de conhecimento não faz mal a ninguém. Se eu não mudasse de ideia, pelo menos eu tinha adquirido um pouco mais de informação. Estava feliz porque reconheci que para denegrir e acusar tão fervorosamente um candidato à presidência da república, eu precisava saber muito mais do que aquilo que o Facebook me mostrava. E, ao chegar nesse entendimento, senti vergonha por ter sido fantoche da imprensa por tanto tempo.

Maria do Rosário não me representa. E não deveria representar nenhuma mulher. Naquele famigerado vídeo em que ele diz a fatídica frase “Não te estupro porque você não merece” - Maria do Rosário estava defendendo o Champinha! Lembram do Champinha? Aquele animal de 16 anos que torturou e estuprou durante 5 longos dias uma menina de 16 anos, matando a ela e ao seu namorado após dias de tortura.
Ela defendia que ele não merecia ser julgado criminalmente porque era menor e merecia uma chance futura de ressocialização.

Não satisfeita, ainda ofendeu Bolsonaro de estuprador, logo ele, tão oponente a esses marginais. Eu não sabia disso. Vejam só vocês, a mídia só publica “Bolsonaro faz acusações machistas e de apologia ao estupro em briga com Maria do Rosário”.

Sério isso? Vergonha eu tenho de quem pensa como ela e ainda defende um posicionamento desses. Eu, assim como ele, não tenho pena de bandido. Ele é violento porque quer matar quem mata inocente? Ele é agressivo porque condena bandido, pedófilo, sequestrador? Porque quer castrar estuprador? Porque não quer que a população viva à mercê da bandidagem?

Violência, para mim, é deixar os Nardoni saírem em datas comemorativas enquanto a mãe da Isabella nunca mais comemorou o aniversário da filha. Violência pra mim é deixar pedófilo voltar para as ruas. Isso sim é violência, isso sim é tortura, isso sim é ferir a integridade humana de todos os cidadãos de bem de uma nação.

Ah, mas ele disse que mulher tem que ganhar menos porque engravida. Eu também proliferava isso com o mesmo ódio dele que vocês. Até descobrir que ele não disse nada disso. Ah, mas ele tem horror a homossexuais e negros. Eu não sabia que sua equipe política estava recheada de todo tipo de gente, inclusive os citados anteriormente, pois ele contrata por COMPETÊNCIA. Ele não está nem aí para sua cor ou pra sua orientação sexual ou se você é homem ou mulher.

Falando em mulheres, ele não quer que ganhemos menos, ele afirma, mais uma vez, que tudo é questão de COMPETÊNCIA.

Ele é casado com uma mãe solteira, ele cria a filha de outro homem, e é pai de uma menina de 7 anos nitidamente apaixonada pelo pai - pesquisem vídeos dele com ela no YouTube, é a coisa mais fofa, juro!
Talvez ele tenha um ou outro resquício machista, meu pai tem 48 anos e tem alguns, imagine meu avô! Não sejamos tão hipócritas, pois tenho certeza que dentro da casa de muitas que o insultam de machista, os afazeres domésticos e a responsabilidade dos filhos caem muito mais nas costas delas do que de seus maridos, e elas sofrem e se submetem caladas. Um conselho? Gastem essa energia mudando a mente machista de quem mora com vocês, vive com vocês e lhes deve igualdade.

O machismo do marido que exige janta pronta da esposa todas as noites depois de um dia inteiro de trabalho de AMBOS é muito mais preocupante porque te afeta diretamente.

Se seu marido te exige isso, se só você comparece às reuniões dos filhos, se só você cuida dos afazeres da casa, se só você se preocupa com as notas dos filhos e ainda trabalha fora e você vai pras redes sociais chamar o Bolsonaro de machista, minha amiga, tenho péssimas notícias pra te dar sobre seu marido... Aí depois a gente se preocupa com o suposto machismo do Bolsonaro. Valores eu aprendo em casa.

Fui criada para ser independente e não ser submissa a homem nenhum.

Coube a mim a função de colocar meu feminismo em prática na MINHA VIDA. Coube a mim estudar, trabalhar pelo meu espaço sem nunca precisar me vitimizar de nada. Coube a mim não me casar com um homem machista e que fosse meu companheiro acima de tudo. E, inclusive, fico muito decepcionada com a incoerência do movimento feminista quando alegam que não podem andar na rua tranquilas por medo de estupradores, e rechaçam candidatos favoráveis à castração química com argumentações irrisórias de que isso não adianta.

Pois claro, o que adianta é pegar poucos anos de prisão e dar mais uma chance para esses “doentes” vítimas da sociedade se retratarem, não é mesmo? Ora, para mim, doença é defender uma hipótese como essa.

Eu não preciso que o presidente da república me ensine valores. Eu preciso que ele forneça segurança, saúde pública, educação, e que tire meu país da miséria. Não que as outras causas não tenham importância, mas, à priori, eu preciso de ter certeza que um filho meu no futuro, vai poder sair e voltar pra casa em segurança. Ele não precisará que o Bolsonaro lhe ensine valores, isso caberá a mim e ao pai dele. Caberá a nós ensinar-lhe a respeitar todos os seres humanos, sejam eles quem forem.

Eu quero um país em que terei quase certeza de que meus pais e irmãs não serão mais assaltados dentro de casa em um domingo às 7h da manhã tendo sido reféns de três marginais armados com prejuízo financeiro e psicológico.
Meus pais tiveram que mudar da primeira casa própria que eles haviam conquistado na vida. Tiveram que mudar de cidade. Eles agora viajam e pegam estrada para trabalhar.

Eu não posso me preocupar com questões ideológicas agora, sendo que nossa nação chora por socorro.

Quantos pais de família precisarão morrer? Quantas crianças precisarão ser estupradas por pedófilos? Quantas mulheres precisarão passar pelas mãos de estupradores? Quantas vítimas mais precisam morrer em assaltos todos os dias?

Nosso país precisa urgente de uma mudança drástica.

Nestes 15 dias em que me forcei a estudar um pouco mais, senti repulsa da mídia nacional e internacional. Essa mídia tendenciosa e inconsequente.

Não culpo as pessoas que compartilham essas falácias provenientes da imprensa, eu também já compartilhei muito. É um jogo tão sujo, é um medo tão grande que o Bolsonaro chegue à presidência, que a mídia utiliza do seu poder de persuasão como um meio para atingir seus fins, nos tratando como meras marionetes ignorantes.

Não se deixem levar por essa cúpula de artistas hipócritas de meia tigela, em sua grande maioria uma cambada de maconheiros frequentadores de festinhas de elite regadas a pó e promiscuidade. Drogas essas que, adivinhem? Ajudam a financiar o tráfico, o motivo principal da violência do nosso país. Repito: hipócritas!
Eles não sabem de nada. Eles não frequentam escola pública, não andam sozinhos na rua, não moram na periferia e não frequentam o SUS. Vivem nadando numa bolha de dinheiro público, dinheiro este proveniente do meu suor e do seu, e estão aterrorizados com a possibilidade da mamata acabar. Usam todos o mesmo argumento: homofóbico, racista, machista.

Peçam-lhes para justificarem seus argumentos mais a fundo, ou ainda para subirem hashtags em nome de milhares de inocentes que morrem todos os dias vítimas de balas perdidas provenientes da guerra do tráfico, tráfico este que esses mesmos artistas de segunda categoria ajudam a sustentar através de seus vícios. Eles, também, não me representam, e melhor, eles não me enganam!

Definitivamente: ELE SIM!
Ele sim porque ele não é corrupto.

Ele sim porque todo o sistema está contra ele pois ele não tem rabo preso com ninguém.

Ele sim porque ele defende a segurança das nossas famílias.

Ele sim porque ele é contra espalhar cartilha sobre ideologia de gênero para crianças de 5 anos. Isso não é ser homofóbico, é ter bom senso.

Ele sim porque ele defende leis duras em defesa da segurança das mulheres.

Ele sim porque os piores políticos desse país o odeiam.

Ele sim porque eu o estudei a fundo, e dentre todos esses políticos que concorrem com ele à presidência, eu prefiro ele, mesmo que um pouco louco, mesmo não concordando com tudo que ele diz ou faz, do que aqueles que já estiveram no poder e nos usurparam até à última gota.

Ele sim porque se não for ele, quem vai ser? O PT? Sinto muito, meu dinheiro é suado demais para sustentar quadrilha novamente.

ELE SIM!

Lembram que disse lá em cima que ele era, no passado, meu boneco de Judas? Pois bem, hoje, no presente, ele é meu Pedro, pois alguém disse e muito bem:

“Prefiro Pedro que era impulsivo, falava umas besteiras e andava armado com uma espada, do que Judas com seu discurso mentiroso de ajudar os pobres, mas que era ladrão."

Sou mulher, sou feminista, sou temente a Deus e descobri que ele me representa, sim! A verdade é libertadora... grata demais a Deus por ter aberto os olhos a tempo!

Que venha o fresco, o novo, a esperança! Que venha a mudança! Que venha um Brasil melhor!

Que venha, e que vença! #EleSim

(Texto de Kemily Sá Rodrigues, publicado originalmente na página Letras com Café no Facebook)

Veja o vídeo:

da Redação

Siga-nos no Twitter!

Notícias relacionadas

Comentários

Mais em Circulando na rede