Haddad ignora facada e proibição médica... É o cúmulo da canalhice

Veículos da imprensa marrom vinculada ao banditismo e ao dinheiro fácil da era PT, a trêfega Manuela e o próprio Haddad, no desespero ante o prenúncio de que sofrerão uma esmagadora derrota no dia 28 de outubro, partiram para um cruel e desumano “tudo ou nada”.

Estão afirmando que o adversário “está fugindo do debate”. Isso sem contar as inúmeras “Fake News” que disparam diuturnamente.

Cometem na realidade um verdadeiro “tiro no pé”

O Brasil inteiro sabe que Jair Bolsonaro foi vítima de um atentado no dia 6 de setembro, cometido por um indivíduo militante da esquerda.

É de conhecimento de todos que o candidato esteve entre a vida e a morte, foi submetido a duas cirurgias arriscadíssimas, está com anemia, 15 quilos mais magro e utilizando uma bolsa de colostomia para necessidades fisiológicas, vez que o seu intestino está ‘desligado’, aguardando a cicatrização.

Por outro lado, quem assistiu as entrevistas de Bolsonaro, logo após a vitória no 1º turno, percebeu a sua vontade de participar dos debates.

Não é pra menos. Debater com um sujeito que busca ordens na prisão com um corrupto e lavador de dinheiro é muito fácil.

Porém, a recuperação do crime brutal e a própria saúde estão em primeiro lugar. Para tanto, obedecer às ordens médicas é fundamental.

Até a próxima quinta-feira (18) Bolsonaro está proibido de participar de debates, quando será feita uma nova avaliação médica.

As provocações de Haddad, Manuela, PT e imprensa marrom são insanas, desumanas e inaceitáveis.

Quanto a alegação de Haddad de que iria até uma enfermaria para debater com Bolsonaro, é uma enganação tão medíocre quanto na reta final fazer a mudança das cores do PT, excluindo o vermelho, e deixar de ir momentaneamente na cadeia obter ordens do chefe.

São estelionatários, sem qualquer escrúpulo, sem nenhuma ética.

Amanda Acosta

Articulista e repórter
amanda@jornaldacidadeonline.com.br

Siga-nos no Twitter!

Mais de Amanda Acosta

Comentários

Notícias relacionadas