Mensagens de Adelio para Gleisi comprovam militância petista do criminoso

No processo crime movido contra Adelio Bispo de Oliveira, pela tentativa de homicídio praticada contra o candidato à presidente da República Jair Bolsonaro, um fato chama a atenção, o aparecimento nos autos do nome da senadora Gleisi Hoffmann.

O criminoso enviou três mensagens para a senadora e atual presidente do PT.

Nas mensagens, Adelio dá palpites sobre a escolha do candidato petista a presidente, alerta para o fato de que assim que as candidaturas fossem anunciadas, haveria uma caçada aos candidatos ordenada pelo juiz Sergio Moro e por “toda a maçonaria” e se opõe à possibilidade de uma aliança do PT com o candidato Ciro Gomes, do PDT.

Nas tais postagens dirigidas a presidente do PT, Adelio demonstra conhecimento dos fatos políticos, chegando a dizer que Jaques Wagner estava ‘equivocado’ quando pedia que o PT cedesse a Ciro, pois, no seu raciocínio, o partido cedeu ao chegar ao poder “e deu no que deu”.

O que se percebe de relevante é que Adelio, quando da prática do crime, era efetivamente um militante do PT, que se preocupava com as causas partidárias e que acompanhava o cenário político.

A Revista Veja que divulgou os fatos, maliciosamente tenta transformar as mensagens em um "retrato doloroso de uma mente perturbada", alegando, para tanto, que ele se comunicava com perfis falsos.

Otto Dantas

Articulista e Repórter
otto@jornaldacidadeonline.com.br

Siga-nos no Twitter!

Mais de Otto Dantas

Comentários