Jean Wyllys vira um sujeito sem voto, sem discurso e completamente desmoralizado

O deputado Jean Wyllys sentiu nesta eleição o peso de todos os erros que cometeu em sua medíocre carreira política.

De 2014 para 2018 perdeu mais de 120 mil votos. Mais do que isso, perdeu o respeito e perdeu a moral.

Hoje é visto como uma figura patética, devassa e desprezível.

De qualquer forma, não obstante todas as asneiras cometidas, ainda tem sido bafejado pela sorte.

A “cusparada” que protagonizou no dia do impeachment de Dilma Rousseff, deveria ter lhe rendido a cassação do mandato e a perda de seus direitos políticos. O protecionismo da esquerda acabou lhe beneficiando.

De 144 mil votos obtidos em 2014 caiu para 24 mil no pleito de 2018.
Um vexatório desempenho nas urnas, que traduz exatamente o que foi o seu mandato. Para sua sorte, ainda foi eleito, graças ao quociente eleitoral, em razão da votação gigantesca obtida por Marcelo Freixo.

Porém, doravante terá dias muito difíceis.

O homem a quem Jean dirigiu a ‘cusparada’ naquele dia fatídico, está na iminência de ser eleito presidente da República, com uma formidável bancada ao seu lado.

Será difícil para esse ex-BBB conviver com os seus pares. Ele não tolera a pluralidade.
No entanto, doravante terá que se comportar como pessoa decente, pois certamente nenhum deslize seu será mais suportado.

A Câmara é outra, bem diferente daquela que perdoou esta figura medíocre.

Amanda Acosta

Articulista e repórter
amanda@jornaldacidadeonline.com.br

Siga-nos no Twitter!

Mais de Amanda Acosta

Comentários

Notícias relacionadas