TSE intervém e tira do ar nova fake news de Haddad contra Bolsonaro

Despacho do ministro é contundente e reconhece a disseminação de Fake News por parte do candidato do PT.

O candidato Fernando Haddad, aquele mesmo que propôs um protocolo ético contra a Fake News, diante da derrota anunciada, desesperado, tornou-se um voraz e contumaz divulgador de notícias falsas contra o adversário.

Nesta terça-feira (16), o ministro Sergio Banhos, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), determinou ao petista, que cesse imediatamente a divulgação de uma propaganda eleitoral segundo a qual o candidato do PSL teria votado na Câmara dos Deputados contra a criação da Lei Brasileira de Inclusão (LBI), que garante direitos a pessoas com deficiência.

Na realidade, Bolsonaro foi favorável à criação da lei, votando contra apenas um dos destaques da LBI, acerca de questões de gênero, mas a favor da criação da lei em si.

“Se extraem da propaganda eleitoral impugnada elementos suficientes à configuração da alegada transgressão, porquanto se depreende da propaganda em evidência a publicação de fato sabidamente inverídico (Fake News) capaz de desequilibrar a disputa eleitoral, consistente na divulgação de que o candidato representante votou contra a LBI”, cravou o ministro.
Diante de mais esse fato, Haddad já é reconhecidamente, perante a própria Justiça especializada, um divulgador de Fake News.

Noutras palavras, um farsante, dissimulado e desprovido de postura ética.

da Redação

Siga-nos no Twitter!

Notícias relacionadas

Comentários

Mais em Política