Nomeação de Moro para o STF, caso Bolsonaro seja eleito, o colocará na 2ª turma e será inevitável o embate com Gilmar

O combate à corrupção que deseja imprimir Jair Bolsonaro, caso se confirme a sua vitória no pleito do dia 28 de outubro, deve resultar em atitudes que prestigiem a Operação Lava Jato e a Polícia Federal e na tentativa de ‘purificação’ do combalido Supremo Tribunal Federal (STF).

Nesse sentido, é tida como certa a nomeação do juiz federal Sérgio Moro para a primeira vaga que abrir no STF. O próprio Bolsonaro já chegou a admitir esta possibilidade.

Assim, tudo indica que a próxima vaga, ressalvada a hipótese de falecimento de algum do ministro, se dará pela aposentadoria compulsória do mais velho integrante da corte.

Nesse critério, o primeiro da lista é o ministro Celso de Mello.

Em sendo Sérgio Moro nomeado para a vaga ora ocupada por Celso de Mello, ele herda os processos e a condição de membro na 2ª turma.

Nesse caso terá como companheiros de turma, Carmem Lúcia, Edson Fachin, Ricardo Lewandowski e Gilmar Mendes.

Com essa formação, fatalmente a 2ª turma deixará de ser conhecida como “Jardim do Eden” e o malfadado ministro ‘laxante’ terá condições de ser freado, até que o novo senado julgue um de seus pedidos de impeachment.

É este o Brasil que eu quero...

Otto Dantas

Articulista e Repórter
otto@jornaldacidadeonline.com.br

Siga-nos no Twitter!

Mais de Otto Dantas

Comentários

Notícias relacionadas