O dia branco de Geraldo Azevedo

Tudo Combinado, só não souberam fazer as contas...

O cantor Geraldo Azevedo pediu desculpas por ter acusado "erroneamente" o General Mourão de tê-lo torturado em 1969.

É mentira. Geraldo Azevedo foi mau-caráter mesmo.
Já orientado, tentou essa pantomima para ver se colava a poucos dias da votação em segundo turno.

A manobra já estava pronta, tanto é que foi rapidamente utilizada na campanha do Haddad, que se pronunciou com extrema velocidade a respeito. Só que os esquerdistas, tradicionalmente incultos e desinformados, não levaram em conta a idade do Mourão e algo que certamente todos eles foram reprovados desde o jardim de infância: A matemática. Mourão, nascido em 1953, tinha apenas 16 em 1969.

O pior de tudo isso foi a desculpa do Haddad, que com a cara de bobo que tem ficado cada vez que suas "fake news" são desmentidas, veio a público dizer que "falou porque havia recebido a notícia de fonte fidedigna" e que "Geraldo Azevedo confundiu porque isso é normal de quem sofreu o trauma da tortura".

Mas então o Geraldo Azevedo está confuso e "traumatizado" depois de 49 anos? Conta outra...
E cadê você, Raul Jungmann? Por que é que até agora não se manifestou em relação a isso, nessa sua "cruzada" contra as "fake news"?" Fàcil dizer... A sua própria "cruzada" é uma fake news.

Quanto a você, Geraldo Azevedo, "quando fevereiro chegar”, pegue seu "táxi lunar” e vá em "disparada" tomar aquela medicação que é "dona da sua cabeça" lá na "barcarola do São Francisco". Leve contigo a "caravana" de vagabundos que apoia a tua ideologia, e nem precisa cantar a "canção da despedida".

Nosso prazer será ver você "chorando e cantando" se o Bolsonaro ganhar.

Siga-nos no Twitter!

Mais de Marcelo Rates Quaranta

Comentários

Notícias relacionadas