O homem que se acovardou, fugiu da luta contra a corrupção e agora avaliza a quadrilha

Então, tá! Joaquim Barbosa declara voto em Haddad.

E vocês esperavam o quê desse cidadão que fez da vida inteira uma dependência do poder público?

Sempre agarrado nas tetas do poder público. Sempre vivendo do erário. Fez toda formação como bolsista. No Brasil e no exterior. Carreirista como funcionário público. Ministro nomeado por Lula, foi o que menos julgou no STF.

Assim que pôde, contou os minutos para se aposentar e foi morar em Miami se lixando para o Brasil.

Carreirista, fisiológico, ensaiou uma candidatura à Presidência. Fez água. Depois, tentou ser vice. Fez água. Foi o magistrado que mais perto esteve de combater a corrupção enquanto ministro. Mas não perseverou. Correu. Abandonou. Pensou só em si.
Como Ministro do STF também não pensou no Brasil. Priorizou sua carreira e o seu conforto pessoal de aposentado. Largou o país.

Não teria lugar nenhum num governo Bolsonaro.

Arriscou no de Haddad, para quem - sempre oportunista - declarou voto em cima da hora.

Quem sabe pinta uma nova boquinha numa embaixada na Europa? E daí que vai votar no “poste”? Ele se juntou aos seus!

Nem agora está sendo coerente, pois se dizia combatente da quadrilha que agora avaliza.
Não ouço o discurso dele pois o seu comportamento me ensurdece.

Quem de fato acredita que essa figura dúbia transfira algum voto?

Me parece uma pessoa cheia de mágoas, rancores e recalques.

Quer ver essa figura desabar? É só responder à pergunta: quem está comprometido de fato em acabar com a corrupção no Brasil? Sérgio Moro ou Joaquim Barbosa? Respondeu?

Agora fica mais fácil identificar quem é quem não é mesmo?

Barbosa, tu nunca enganou ninguém!
E não é de hoje que penso isso desse aproveitador barato.

Não vai ser agora que vai conseguir fazê-lo.

Luiz Carlos Nemetz

Advogado.Vice-presidente e Chefe da Unidade de Representação em Santa Catarina na empresa Câmara Brasil-Rússia de Comércio, Indústria e Turismo e Sócio na empresa Nemetz & Kuhnen Advocacia

Siga-nos no Twitter!

Mais de Luiz Carlos Nemetz

Comentários

Notícias relacionadas