Zanin tenta mais uma cartada no STF e deve sofrer nova derrota

O advogado Cristiano Zanin acaba de apresentar um novo pedido de liberdade para o corrupto e lavador de dinheiro Luiz Inácio Lula da Silva.

A argumentação, segundo apurado, é esdrúxula, vazia e sem nenhuma substância, tal qual o advogado signatário da absurda pretensão.

Alega uma hipotética perda de parcialidade do juiz federal Sérgio Moro, por ter sido indicado Ministro da Justiça do próximo presidente da República.

Algo absolutamente sem nexo, estapafúrdio e sem qualquer amparo legal. Uma peça imprestável juridicamente.

Ora, o processo pelo qual Lula foi condenado teve sua pena aumentada pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região. Não há o que se falar em ‘parcialidade’ do magistrado de 1ª instância. A decisão que vigora é a do tribunal de 2ª instância.

Quanto aos demais processos de Lula, que tramitam na 13ª Vara Federal Criminal de Curitiba (PR), o juiz Sérgio Moro já se afastou, justamente para evitar qualquer tipo de questionamento.

Aliás, comenta-se que a substituta imediata de Moro, juíza Gabriela Hardt, que interrogará o meliante petista no próximo dia 14 de novembro, no processo sobre o malfadado sítio de Atibaia, deve proferir a sentença no processo sobre o terreno do Instituto Lula ainda este ano, acabando de vez com esta celeuma e mandando o criminoso definitivamente para um presídio comum, onde deverá cumprir suas duas penas como qualquer outro presidiário do sistema carcerário.

Amanda Acosta

Articulista e repórter
amanda@jornaldacidadeonline.com.br

Siga-nos no Twitter!

Mais de Amanda Acosta

Comentários

Notícias relacionadas