Devasso, Fernando Pimentel loteou MG com petistas do Brasil inteiro (Veja o Vídeo)

Como se não bastassem os processos criminais que enfrenta do período em que foi ministro de Dilma Rousseff, o atual governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel, vai fatalmente enfrentar inúmeras outras acusações gravíssimas tão logo deixe a chefia do governo, no dia 1º de janeiro de 2019.

Há quem afirme que sem foro privilegiado, a prisão de Pimentel é mera questão de tempo.

A contagem regressiva para o petista já teve início e o governador eleito Romeu Zema vai certamente apurar as inúmeras denúncias, inclusive o loteamento de cargos no poder executivo com petistas de todo o Brasil.

Uma barbárie que colaborou decisivamente para devastar as finanças do estado.

Nesse aspecto, foi o próprio Zema que fez a denúncia ainda durante a campanha eleitoral.

Segundo ele, só no Instituto de Previdência dos Servidores de Minas Gerais (IPSEMG), Pimentel aumentou o número de conselheiros de 16 para 540, todos do PT, do Brasil inteiro, pessoas desqualificadas na área, que nunca trabalharam com saúde ou previdência, mas que foram acolhidas no “armário de empregos” montado pelo devasso Fernando Pimentel.

Veja o vídeo:

Nota: Após a publicação de matéria, o IPSEMG enviou explicações refutando as declarações de Zema. Veja abaixo:

Nota de esclarecimento sobre os Conselhos do IPSEMG

Tem circulado nas redes sociais um vídeo em que o governador eleito, Romeu Zema, diz inverdades relativas aos conselheiros do Instituto de Previdência dos Servidores do Estado de Minas Gerais (IPSEMG) e a sua composição.

O IPSEMG esclarece que a autarquia possui três (03) conselhos: o Conselho de Beneficiários, o Conselho Deliberativo e o Conselho Fiscal, previstos no Decreto nº 47.345/18, dos quais fazem parte servidores representantes dos Poderes Legislativo, Judiciário e Executivo, além do Tribunal de Contas, Ministério Público e sindicatos das categorias. Todos os membros são indicados pelos próprios órgãos estaduais.

O Conselho de Beneficiários tem a participação de cinco (05) conselheiros e o mesmo número de suplentes. Todos servidores representantes dos Poderes Legislativo, Judiciário e Executivo, do Tribunal de Contas e Ministério Público.

O Conselho Deliberativo é composto por membros fixos, os quais são: Presidente do IPSEMG, que também preside o Conselho, diretores de saúde e de previdência da instituição e outros nove (09) conselheiros também indicados por suas entidades representativas.

O Conselho Fiscal é composto por membros fixos, os quais são: Presidente do Ipsemg, que também preside o Conselho, diretores de saúde e de previdência da instituição e três (03) dos segurados indicados por suas entidades representativas ao Conselho Deliberativo e eleitos entre eles.

É importante destacar também que a participação desses conselheiros não é remunerada e que a contribuição de cada um deles nos debates engrandece e fortalece a gestão do Instituto.

Portanto, não há porque falar em 540 conselheiros e muito menos indicação partidária.

É preciso deixar claro para a população mineira, e mais ainda para aquelas pessoas que contribuem mensalmente para o Instituto e nele depositam confiança para os momentos mais difíceis de suas vidas, que o IPSEMG é uma instituição centenária que tem por finalidade prestar assistência médica, hospitalar, farmacêutica e odontológica a seus mais de 875.000 beneficiários, além gerir o regime próprio de previdência dos servidores estaduais.

Seria interessante se o governador eleito, em respeito a esta importante parcela da população mineira, reconhecesse o equívoco provocado, talvez, pelo calor do momento eleitoral.

Grata,

Assessoria de Comunicação do IPSEMG

Instituto de Previdência dos Servidores do Estado de Minas Gerais - IPSEMG

31 3915 – 2130 / 2144 / 9 9234-3879 acs@ipsemg.mg.gov.br / acs.ipsemg@gmail.com

www.ipsemg.mg.gov.br

Amanda Acosta

Articulista e repórter
amanda@jornaldacidadeonline.com.br

Siga-nos no Twitter!

Mais de Amanda Acosta

Comentários

Notícias relacionadas