Sobre a Cláudia Leite: “Gabriel o pensador, agora eu sei o que é ‘lôra burra’!”

Cláudia Leitte ficou "dodói" com uma brincadeira do Silvio Santos, e desatou a falar besteiras pelas redes sociais, tendo sido apoiada por Taís Araújo, Daniela Mercury e Débora Secco.

Sílvio fez uma brincadeira com a loira desmilinguida, dizendo que "esse negócio de abraço deixa ele excitado".

Ora, gente, isso foi dito claramente num tom de galhofa, não com ela, mas com ele mesmo. Uma ironia! O Sílvio ficar excitado aos 87 anos é tão provável quanto a Cláudia Leitte cantar alguma coisa que preste e que seja interessante... e bem. Sem chances. Só que a burrinha não entendeu a piada, que foi dita inclusive na presença da esposa, Íris Abravanel.
Alguém em sã consciência acha que Sílvio assediaria a galinha pintadinha (foi com essa roupa que ela foi) em público e na frente da própria esposa? Menos, né!
Ela tem todo o direito de não ter gostado da brincadeira e isso não se discute. Mas daí a fazer postagens com desabafos chorosos pelas redes sociais, numa vitimização imbecil, vai uma diferença muito grande. É querer aparecer às custas de um homem que fez a história da televisão brasileira, e que tem entre seus incontáveis méritos um senso de justiça muito grande para com todos. Além de tudo, foi ele quem ajudou e até hoje continua ajudando vários artistas a se manterem na mídia. Não precisava de tanto, não é?

Talvez nem chegue a ele essas manifestações públicas dessa crooner de trio elétrico que por muito tempo usou a Lei Rouanet, e nem o apoio das ativistas de merda que a apoiaram, mas se chegar, espero que o dono do SBT não abra mais espaço pra essa gente na sua emissora, e deixe bem claro para os produtores dos programas que quem chamar esses trastes vai para o olho da rua.

Essa gente repugnante precisa experimentar o ostracismo.
E aviso aos navegantes: Isso não é inversão. Ninguém disse que a brincadeira foi certa. Digo que a resposta foi desproporcional. Às vezes eu preciso desenhar para que alguns consigam alcançar o conteúdo... ou não.

Siga-nos no Twitter!

Mais de Marcelo Rates Quaranta

Comentários