Aleluia: a ditadura cubana desiste de participar do Programa Mais Médicos (Veja o Vídeo)

Bastou Bolsonaro sinalizar com a possibilidade de mudanças nas regras que regulamentam a participação dos médicos cubanos no famigerado Programa Mais Médicos, para que Cuba, abrisse novamente as portas de sua senzala, chamando de volta ao seu país, os seus "escravos de branco".

É uma vergonha o que vem acontecendo no Brasil com esses profissionais cubanos, que são explorados e tratados como mercadoria, tanto por seu governo, como pelo governo federal brasileiro.

Tudo começou no final do primeiro governo da ex-presidente Dilma Rousseff, que precisando melhorar a sua popularidade para concorrer à próxima eleição presidencial, tirou da cartola essa aberração.

Vejam o vídeo denúncia de um médico cubano (naturalizado brasileiro) sobre o que realmente acontecia, ao Congresso Nacional.

Neste período, governo brasileiro ajudou a ditadura cubana a segurar o chicote que açoitou o lombo dos médicos escravizados de Cuba.

Durante todos esses anos, a OAB, a Comissão de Direitos Humanos, os Ministérios da Justiça e do Trabalho e outros tantos órgãos que teimam em infernizar os empresários, os empreendedores e os fazendeiros brasileiros com leis trabalhistas rigorosas e ultrapassadas, foram coniventes e fecharam os olhos, os ouvidos e as bocas para este "programa desumano".

De nada adiantou os inúmeros protestos e as denúncias da Associação Médica Brasileira, dos Conselhos Federal e Regionais de Medicina sobre as transgressões a legislação e as normas que regulamentavam o trabalho de médicos estrangeiros em nosso país; o governo Dilma, com a ajuda do intransigente Ministro da Saúde, Padilha, e os meios de comunicação coniventes com este programa, tentaram distorcer de todas as formas, a essência destas reclamações, fazendo a população acreditar que se tratava de uma mera reserva de mercado. Firmes, continuaram com o seu propósito.

Este projeto escravocrata, do qual fomos coniventes, deveria envergonhar toda a sociedade brasileira, principalmente os grupos minoritários que dizem defender os direitos e as liberdades dos menos favorecidos. Quando o fuzil está na mão da esquerda, todos se calam.

Voltando ao tema principal, o governo comunista de Cuba, solicitou a volta de seus médicos ao país após Bolsonaro sinalizar:

• Que os médicos cubanos seriam "obrigados" a fazer uma prova testando sua capacidade técnica mínima;
• Que os médicos cubanos poderiam ficar com todo o seu salário, não sendo mais obrigados a enviar uma boa parcela para o governo cubano;
• E que poderiam pedir asilo ao governo brasileiro se assim fosse de seu interesse;
• Etc.
O resultado desta atitude será muito benéfico ao nosso país, já que:
• O dinheiro brasileiro deixará de financiar a mais antiga ditadura comunista da América Latina;
• Os médicos cubanos tem a chance de se libertarem da escravidão cubana ao optarem por não retornarem à Cuba;
• Abrirão vagas no Programa Mais Médicos para jovens brasileiros que precisam trabalhar para pagar o FIES;
• Interrompe-se o processo lento e gradual de implantação da ideologia marxista em nosso país. Assim foi dado o golpe mortal na democracia venezuelana (introduzindo funcionários públicos cubanos em postos importantes da sociedade venezuelana).
Bolsonaro realmente está sendo um marco na redemocratização de nossa amada Pátria Verde Amarela, que aos poucos, nos afasta da bandeira vermelho sangue do comunismo. Parabéns Bolsonaro, você está fazendo o que nos prometeu.

Roberto Corrêa Ribeiro de Oliveira

Médico anestesiologista, socorrista e professor universitário

Mais de Roberto Corrêa Ribeiro de Oliveira

Comentários

Notícias relacionadas