Agressão de mulher, militante de esquerda, em Bolsonaro é estudada para reforçar segurança (Veja o Vídeo)

O propósito da Polícia Federal é reforçar ainda mais a segurança em torno do presidente eleito Jair Bolsonaro.

Inclusive, é provável que no dia da posse não haja o tradicional percurso em carro aberto.

O crime cometido por Adelio Bispo de Oliveira no dia 6 de setembro deste ano, em plena campanha eleitoral, em Juiz de Fora (MG), soma-se a outras agressões já realizadas por militantes de esquerda, verdadeiros adoradores do ódio.

A agressão física num estabelecimento comercial cometida por uma mulher, uma militante, também está sendo estudada com o objetivo de prevenção a aproximações suspeitas.

O entendimento é de que o caso da agressão da militante, ocorrido bem antes do início do processo eleitoral, poderia ter sido evitado com facilidade.

O fato já diagnosticado é de que na medida em que a popularidade de Bolsonaro cresce, a ira da militância do PT, PSOL e PCdoB aumenta.

Pesquisa divulgada neste sábado (1) pelo Estadão, dá conta que o apoio ao presidente eleito já ultrapassa os 60 pontos percentuais.

Tal desempenho é insuportável para os extremistas de esquerda.

Todo cuidado é pouco.

Veja o vídeo:

Amanda Acosta

Articulista e repórter
amanda@jornaldacidadeonline.com.br

Mais de Amanda Acosta

Comentários

Notícias relacionadas