O momento presente: Ajuste fiscal, desemprego e recessão

A realidade é pesarosa, mas os fatos são verdadeiros. O Governo está promovendo um ajuste fiscal com aumento da taxa de juros e cortes nos gastos públicos. O consumo interno caiu. A produção industrial caiu e o desemprego formal caiu. 

Estabelecer relações de causa e efeito entre esses já depende de cada um. 
O Governo e os economistas, considerados ortodoxos, defendem a política econômica do tripé macroeconômico e assumem que o aumento da taxa de juros é necessário para controlar a inflação, ainda que mediante a contenção do consumo interno. Mas confiam que, com a inflação controlada, restabelece-se a confiança na economia e ela volta a se movimentar, sem inflação, com aumento do consumo, da produção e dos investimentos. A demora nos resultados decorreria da crise política, que obstaculiza ou retarda o ajuste fiscal.


E tem agora mais um problema que são os economistas, considerados heterodoxos, que partem dos efeitos finais  (na perspectiva deles) que seria o desemprego, para propor o fim do ajuste fiscal. E a retomada da política da "nova matriz econômica", colocada em prática no primeiro mandato da Presidente Dilma.
Argumentam que a origem da crise é externa, consequência ainda da crise financeira de 2007/08 e que é preciso preservar as conquistas sociais e o emprego. O ajuste fiscal deve ser feito pelo aumento dos impostos sobre os ricos e rentistas e não mediante corte dos gastos sociais.
Mas não tem medidas concretas para a retomada da produção. Apenas a esperança de que mantidos os empregos, os trabalhadores voltem a consumir e com isso "puxem" a produção. A retomada do consumo seria retomada pela ampliação dos mecanismos de financiamento.
Ambas as posições se baseiam no restabelecimento da confiança. Porém de segmentos diferentes. O ortodoxo dos investidores e empresários. Os heterodoxos dos trabalhadores.
Se debatem dentro do mesmo círculo de giz. Ou nos termos modernos dentro da mesma caixa. Para sair da crise não basta falar em criatividade. É preciso sair do círculo de giz. Pensar fora da caixa.

Jorge Hori

http://iejorgehori.blogspot.com.br/


                                                      https://www.facebook.com/jornaldacidadeonline

Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o site do Jornal da Cidade Online. 

Jorge Hori

Articulista

Siga-nos no Twitter!

Mais de Jorge Hori

Comentários

Notícias relacionadas