Se o plano hoje fracassar, Sepúlveda volta por “prisão domiciliar” e Zanin deixa a defesa do presidiário

Juridicamente o Habeas Corpus pleiteado pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que será julgado nesta terça-feira (4) pela 2ª turma do Supremo Tribunal Federal, é incabível, sem a mínima chance de prosperar.

Entretanto, como se trata da 2ª turma, onde dois dos julgadores são Gilmar Mendes e Ricardo Lewandowski, tudo é possível.

De qualquer forma, o meliante Lula, caso tenha mais um HC denegado, tem uma nova estratégia pronta para ser colocada em prática.

Sepúlveda Pertence retornaria para a defesa do ex-presidente - para tanto, certamente receberia mais alguns milhões – e Zanin, o abobalhado e imprestável defensor, seria finalmente defenestrado da banca.

A missão do ex-ministro seria a de retornar com o trabalho junto aos ministros do STF para que a prisão domiciliar seja concedida ao petista.

Quem dá a dica é Mônica Bergamo, a colunista da Folha, dublê de porta voz do PT.

Otto Dantas

Articulista e Repórter
otto@jornaldacidadeonline.com.br

Siga-nos no Twitter!

Mais de Otto Dantas

Comentários

Notícias relacionadas