Delator põe Carlos Minc no esquema de propina de Cabral

Um desavisado qualquer, ao tomar conhecimento da notícia, diria: “Vish, o Minc voltou a roubar!”

Isso só se explica porque o ex-ministro de Lula, em idos do final da década de 60, como guerrilheiro, teria participado do roubo de um cofre pertencente ao ex-governador de São Paulo Ademar de Barros, de onde foram retirados 2,5 milhões de dólares.

Exilado, Minc foi morar e estudar em Portugal, retornando ao país somente em 1979, com a lei da anistia.

Desde então, ocupou inúmeros cargos públicos e foi deputado pelo Rio de Janeiro diversas vezes, sem ter se envolvido em qualquer falcatrua.

Na condição de secretário de Sérgio Cabral, Minc acaba de ser acusado pelo delator Carlos Miranda de ter recebido propina paga pela Construtora Queiroz Galvão.

A informação é de Lauro Jardim, de O Globo, que diz ainda que Minc teria dividido a bolada de R$ 300 mil, com a ex-diretora do BNDES Marilene Ramos.

da Redação

Comentários