Lewandowski falou por 11 pessoas, o advogado por 200 milhões...

Ainda com relação ao ocorrido durante um voo entre São Paulo e Brasília, em que o Ministro Lewandowiski deu "ordem de prisão" contra um advogado que manifestou a vergonha que sente do STF, o Ministro declarou que o fez "para defender a honra do STF",

O que o Ministro fez, na verdade, foi defender a castidade e a pureza de uma prostituta veterana, como se ela a vida inteira tivesse vendido o corpo por amor aos clientes. Puro cinismo.

O STF é sim uma vergonha. Mas é por causa de pessoas como ele (que emporcalham ainda mais a imagem da Suprema Corte), que hoje o STF não tem o respeito, a admiração e muito menos a credibilidade por parte da população brasileira.

A pergunta que ficou no ar é: Que honra que o Ministro pensa estar defendendo? A de proteger políticos? A de cuspir na Constituição continuamente? A de ter se tornado um verdadeiro alívio para corruptos, que até tentam escolher em qual turma querem ser julgados, pela certeza da impunidade?

Defender a "honra" do STF seria válido se tivéssemos Ministros minimamente capazes de servirem como exemplos para o mais inocente e iludido estagiário de Direito. Só que nem isso eles conseguem. Hoje eles são o exemplo sim, mas daquilo que o estagiário não deve seguir, se quiser fazer uma carreira laureada pela dignidade.

Nada seria mais honroso do que um pedido coletivo de renúncia por parte desses que fazem parte da pior composição do Supremo Tribunal Federal, em toda a sua história.

Mas isso não vai acontecer, porque ao contrário do advogado que expressou ter vergonha, esses Ministros desconhecem o que venha a significar a palavra "vergonha" em seu sentido mais simples. E há dois tipos de vergonha: A "alheia", que é aquela que sentimos do STF, e a "na cara", que é a que falta a esses Ministros.

O Brasil não pode ser passado a limpo se suas principais instituições continuarem inundadas por lixos.

Lewandowski deu sua declaração representando 11 pessoas. O advogado fez sua manifestação representando mais de 200 milhões.

Mais de Marcelo Rates Quaranta

Comentários

Leia mais...

Notícias relacionadas