Decisão não determina a soltura imediata de Lula, mas advogados pressionam a juíza

A decisão do ministro Marco Aurélio Mello é extremamente irresponsável e só vai trazer confusão no mundo jurídico nesses últimos dias de 2018.

O ministro concedeu uma liminar determinando a soltura de presos após condenação em segunda instância em processos sem trânsito em julgado. É o caso de Lula.

Entretanto, na mesma decisão, Marco Aurélio assinala que a liminar deverá ser referendada pelo plenário da corte.

Logo, cabe a juíza responsável pela execução da pena, Carolina Lebbos decidir sobre a soltura imediata do petista ou se vai aguardar que o plenário do STF referende a decisão, como recomendou a canhestra liminar.

Força Carolina Lebbos!

Amanda Acosta

Articulista e repórter
amanda@jornaldacidadeonline.com.br

Comentários