O novo 'saudão': A 'Saúde' nas mãos do PMDB

Na 'saúde' o maior problema não é a propina em si. Mas são as compras desnecessárias, para gerar as margens para propinas. 

A reforma ministerial dá origem ao futuro "saudão". 
Os gastos com a saúde pública são enormes e concentradas em compras, seja de medicamentos, de equipamentos ou de serviços. 
É uma irresistível fonte de apropriação indébita, com a exigência de propinas dos fornecedores. 
Marcelo Castro (PMDB), novo ministro da Saúde
Marcelo Castro (PMDB), novo ministro da Saúde
Para a saúde dos brasileiros e das finanças públicas, o maior problema não é a propina em si. Mas são as compras desnecessárias, para gerar as margens para propinas. 
Vai se restabelecer a cultura da corrupção na saúde pública brasileira. Ou melhor vai recrudescer, porque aquela nunca deixou de existir.
Mas os escândalos não vão demorar a aparecer. 
A tentação é irresistível, para os propensos, mas a atenção da sociedade e da mídia hoje é maior. O risco ficou maior, mas não vão resistir a corrê-lo.
A razão política maior, no entanto para os políticos, é o "fura-fila". Com a precariedade dos atendimento e as constantes filas, a alternativa é buscar o apoio de um político para interceder por um atendimento antecipado. E esse atendimento significa votos.
A nova gestão da saúde corre o risco de priorizar os interesses fisiológicos e a saúde dos "seus" eleitores.
Jorge Hori
http://iejorgehori.blogspot.com.br/


                 https://www.facebook.com/jornaldacidadeonline
Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o site do Jornal da Cidade Online. 

da Redação

Siga-nos no Twitter!

Notícias relacionadas

Comentários

Mais em Saúde