Na véspera de Natal, STF manda soltar empresário mandante do “Crime do Papai Noel”

Mais uma proeza protagonizada pelo Supremo Tribunal Federal (STF) através da caneta benevolente e irresponsável do ministro Marco Aurélio Mello, foi realizada na véspera dos festejos natalinos.

Não satisfeito com a liminar que beneficiava cerca de 170 mil presos condenados em 2ª instância, entre eles o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva - felizmente derrubada pela ação do presidente do STF – o ministro Marco Aurélio mandou soltar o empresário Renato Grembecki Archilla.

Ele tem uma condenação de 14 anos de prisão por mandar matar a própria filha.

Muito a propósito da data festiva de hoje, o assassino se vestiu de Papai Noel para executar a vítima e o crime chocou o país em 2001.

Archilla foi condenado em 2017 à pena de 10 anos, 10 meses e 20 dias de reclusão, em regime fechado. Após recurso do Ministério Público, a pena foi aumentada para 14 anos.

No dia 12 deste mês, o TJ-SP determinou a certificação do trânsito em julgado da sentença.

Mesmo assim, com sentença definitiva transitada em julgado, o ministro não conteve sua ira libertadora e mandou soltar.

O Ministério Público Federal recorreu.

O alvará de soltura deve ser expedido nesta segunda-feira (24).

Um inaceitável absurdo jurídico.

da Redação

Comentários