Bolsonaro, os filhos e a inveja latente de alguns “colunistas”

A imprensa, em especial a Folha de S.Paulo, dia sim e outro também, tem empenhado uma campanha feroz de ataque aos filhos do Presidente-eleito Jair Messias Bolsonaro. Para alguns colunistas, não há trégua... e as Eleições 2018 parecem não ter terminado.

Em primeiro lugar, pessoalmente falando, considero natural quando filhos sentem-se envaidecidos pelas vitórias de um pai. Seja quem for. Neste caso específico, estamos falando de uma família quase integralmente ligada à vida pública, os três filhos detentores de mandatos parlamentares eletivos e, portanto, mais expostos, vivendo a experiência única de assistir ao pai assumir democraticamente a Presidência da República Federativa do Brasil.

Senhoras e Senhores, isso não acontece todo dia na vida das pessoas!

É natural que, neste primeiro momento, antes da Posse oficial e da real institucionalização da figura paterna ao cargo para o qual fora eleito, exista uma descalibragem no comportamento, nas falas e na compreensão de tudo que os cercava até então e de todo o universo que os cercará a partir de 1° de janeiro de 2019, com alguns indícios desde a noite do 2° turno.

Para além da má-fé de alguns colunistas, tenho cá minha desconfiança se tudo isso também não é um dedo de inveja. Afinal, é a primeira vez que temos acesso tão amplo, natural e sem barreiras à família presidencial.

Ou seja, humanizou-se tanto a figura de Bolsonaro e de seus filhos, que até os jornalistas confundem as bolas e acabam achando que eles são aqueles "amiguinhos" ou "coleguinhas" a quem se faz "fofoquinhas de corredor".

Pois é... não são! Até a imprensa brasileira precisa amadurecer.

Helder Caldeira

Escritor, Colunista Político, Palestrante e Conferencista
*Autor dos livros “Águas Turvas” e “A 1ª Presidenta”, entre outras obras.

Comentários

Leia mais...