Deputado diz que colegas passam necessidade com salário de R$ 33,7 mil e quer aumento igual ao do STF

Fábio Ramalho afirmou ainda que aumento serve para que se possa cobrar lisura dos congressistas

A disputa pelo controle do Congresso e o reajuste de 16,38% do salário dos ministros do STF reacenderam uma proposta que prevê que o presidente da República, o vice, ministros, senadores e deputados recebam o mesmo salário do STF sem a necessidade de aprovação em outras instâncias. O deputado Fábio Ramalho (MDB-MG), conhecido como Fabinho, defendeu a proposta, alegando que há colegas deputados que "passam necessidade" com os atuais R$ 33,7 mil mensais.

“Há colegas que não dependem do salário, mas outros dependem e passam necessidades que a gente não sabe. É preciso dar ao parlamentar uma melhor qualidade de vida. Não é aumento de salário: é reajuste dentro da lei”

Mas Fabinho não contentou-se com apenas um absurdo. Ao Estado de SP, o deputado afirmou que:

“É melhor o parlamentar ser bem remunerado porque você pode cobrar dele a lisura”

Parece que, para Fabinho, a lisura não é um dever inalienável do representate eleito pelo povo, mas uma mercadoria a ser negociada, e entregue apenas se muito bem valorada. Para ele, os deputados não estão bem remunerados com seus R$ 33,7 mil mais auxílios, por isso, não se pode exigir lisura deles. Se o salário passar de R$ 39 mil, sinta-se a vontade para cobrar honestidade de quem já recebeu seu voto de confiança.

da Redação

Comentários

Leia mais...