Prostituição em pleno voo causa demissão de aeromoça

Uma aeromoça faturou aproximadamente R$ 4 milhões realizando fantasias sexuais de passageiros. 

A aeromoça  trabalhava em uma empresa aérea do Oriente Médio e fazia sexo com passageiros em banheiros de aviões, no itinerário Golfo Pérsico - EUA.

A profissional foi demitida da empresa após ter sido flagrada em cenas íntimas com um passageiro durante seu horário de trabalho no avião. 

Como ela é ocidental, acabou sendo deportada.

O trabalho "extra" da aeromoça durou dois anos e ela chegava a ganhar cerca de R$ 8 mil por cada passageiro que atendia.

No início deste ano, o jornal "Shukan Post" noticiou que aeromoças no Japão estão recorrendo à prostituição para incrementar os seus salários. Os seus clientes seriam pilotos, que pagariam até R$ 2.800 por 90 minutos de sexo.

                 https://www.facebook.com/jornaldacidadeonline

Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o site do Jornal da Cidade Online. 

da Redação

Comentários

Leia mais...

Mais em Variedades