A Carta de Lula para o governador petista do Ceará

Incompreensível como o governador Camilo Santana conseguiu a sua reeleição.

Não será nada fácil para o povo cearense conviver com mais quatro anos de incompetência, irresponsabilidade e desmandos.

Camilo é um fiel seguidor da cartilha petista e do presidiário Lula.

Sua ligação com Lula é tão forte que de dentro da cadeia Lula manteve-se ligado na campanha de reeleição do governador cearense.

Em plena campanha eleitoral, uma carta do ex-presidente, escrita especialmente para Camilo, foi o principal ingrediente do denominado “Encontro de Tática Eleitoral”, realizado pelo PT no aprazível Hotel Praia do Centro, em Fortaleza, certamente com dinheiro público.

A missiva do meliante mor do petismo dizia o seguinte:

Durante muito tempo, o Brasil foi o país do futuro. Um futuro que nunca chegava. Até que o povo brasileiro decidiu que estava farto de viver acorrentado ao eterno passado de escravidão, miséria e abandono. E elegeu um nordestino presidente da República. Esse nordestino, que quando tinha 7 anos de idade embarcou com a mãe e os irmãos num pau de arara rumo a São Paulo em busca de uma vida melhor, foi eleito presidente prometendo uma vida melhor para todos os brasileiros.
Prometemos juntos, ganhamos juntos e cumprimos. Governamos para todos, mas com carinho especial para a parcela mais necessitada da população, e para uma região cujo extraordinário potencial de desenvolvimento havia sido historicamente ignorado pelas elites que durante 500 anos governaram o Brasil. Esta região é o Nordeste, cuja história pode ser dividida em duas etapas totalmente distintas: antes e depois do PT.
Nós governamos com um olho no passado, para a correção de injustiças centenárias, e o outro olho voltado para o futuro, para a construção de um Brasil e um Nordeste mais desenvolvidos e mais justos.
E o povo elegeu esse nordestino de novo, depois elegeu a primeira mulher presidenta da República, e depois reelegeu ela de novo. E aí o que fizeram aqueles que nos queriam eternamente presos aos grilhões do passado? Deram um golpe que jogou no lixo 54 milhões de votos e trouxe de volta mazelas que considerávamos extintas, como o desemprego, a fome e a mortalidade infantil.
E o que nós queremos agora? Nós queremos reeleger o companheiro Camilo Santana governador do Ceará no primeiro turno. E nós queremos o futuro do Brasil de volta. No dia 7 de outubro nós vamos agarrar o futuro e não vamos deixar ele nunca mais escapar das nossas mãos.
Rumo à vitória, rumo ao futuro. E para citar um rapaz cearense sem dinheiro no bolso mas com muita poesia na cabeça e no coração: “Tenho sangrado depois, tenho sofrido pra cachorro. Ano passado eu morri, mas este ano eu não morro”.
Não morreremos. Venceremos. Forte abraço,
Luiz Inácio Lula da Silva".

Não deu Lula, você morreu...

da Redação

Comentários