TCE

A palavra de um general sobre as questões envolvendo os filhos do presidente

Num governo que buscou formar a sua base com homens de integridade incontestável, como os ministros Sérgio Moro, General Augusto Heleno, General Santos Cruz, entre outros, a mídia perversa, sob o comando da Rede Globo, resolveu tentar atingir o Presidente da República utilizando como alvo, os seus filhos.

A guerra está aberta entre a Globo e Bolsonaro. A emissora não vai dar sossego, pois sente no seu caixa a nova conduta adotada pelo novo governo, disposto a não abarrotar os cofres da emissora de dinheiro como fizeram todos os governos anteriores.

Nesse sentido, o General Paulo Chagas, publicou nas redes sociais um excelente texto, onde esclarece com clareza a questão.

Veja o texto:

"Caros amigos
O Brasil não é uma Monarquia e a Família Bolsonaro não é a Família Imperial e, por via de consequência, os filhos do Presidente não são Príncipes Herdeiros e não podemos nos permitir vê-los como tal!
Temos que separar as coisas. Filhos são filhos, políticos são políticos. Trata-se de uma família de políticos. Poderia ser uma família de médicos e, neste caso, os erros, os procedimentos e as decisões de uns não poderiam ser da responsabilidade dos outros.

Os filhos do Presidente só têm essa prerrogativa no seio da Família Bolsonaro, fora dela, são políticos eleitos pelo povo para exercerem seus mandatos e para responderem por seus erros, acertos, procedimentos e decisões. Não são herdeiros da "Cadeira Presidencial", nem membros do governo.

Se algum filho do Presidente, no exercício do seu mandato, fizer uma besteira, poderá levar um puxão de orelha do pai, quando chegar em casa, mas responderá, como político, perante a sociedade e, principalmente, diante dos seus eleitores.

A mistura dessa relação está sendo usada pela oposição e pela mídia comprometida para contaminar o governo, como se os filhos do Presidente fossem seus herdeiros!

A família do Presidente deve ser vista e respeitada como qualquer outra família brasileira. A postura de Jair Bolsonaro e do próprio governo, dando explicações e satisfações pelos atos dos filhos, dá à Família Bolsonaro um status que ela não tem.

Politicamente, que cada Bolsonaro maior de idade assuma as suas responsabilidades e as consequências dos seus atos e omissões. Jair, mais experiente, no papel de pai, saberá orientá-los.

Para o bem do governo e do bom futuro que se oferece fugazmente para o Brasil, é preciso que se adote esta postura imediatamente e de uma vez por todas.

Uma coisa é uma coisa e outra coisa é outra coisa. É como vejo e lamento o imbróglio envolvendo Flávio e, agora, Carlos Bolsonaro.

General Paulo Chagas"

Comentários