Maduro esperneia, tenta reagir, mata 18 pessoas e prende 109 em 24 horas

Desde o início das manifestações há 24 horas na Venezuela contra o ditador e genocida, Nicolás Maduro, 18 pessoas já foram mortas, 109 presas e 40 estão feridos, todos vítimas das repressões do governo às manifestações.

O ditador tomou posse no dia 10 de janeiro e sua "eleição" é considerada ilegítima pela oposição e por diversos outros países, dentre eles Brasil, Estados Unidos, Argentina, etc.

Sobre a situação caótica que a Venezuela passa, o renomado jornalista brasileiro, Alexandre Garcia, comentou certeiramente em sua conta no Twitter:

Enquanto isso, líderes e partidos de esquerda brasileiros, como a senadora Gleisi Hoffmann e o PSOL, exaltam sua admiração ao ditador venezuelano. No Twitter do PSOL, o partido comparou o interesse dos EUA na queda de Maduro para encobrir os "graves escândalos da família Bolsonaro".

Declarações vergonhosas, atrás de declarações vergonhosas.

da Redação

Comentários