Quem assumirá a vaga do irrelevante Jean Wyllys e o perigoso surgimento do PSOL 2.0

Vocês não estão entendendo nada.

O cara que vai assumir a vaga do irrelevante Jean é o boy do poderoso jornalista americano Glenn Greenwald, vencedor do Pulitzer, parceirão do Edward Snowden e divulgador mundial da tese do "golpe" contra Dilma Rousseff.

Aquilo não será um gabinete, será uma BASE DE ATUAÇÃO MIDIÁTICA plantada dentro do Congresso Nacional.

Vão pautar a imprensa inteira, todo dia, o tempo todo.

Esqueçam o PT. O PT está morto. O PT é partido de velho.

Queridinho da mídia e dos artistas, turbinado pelo "fator Marielle", com Marcelo Freixo atuando com Glenn Greenwald no Congresso Nacional, o PSOL, que jamais precisou de voto (aliás, o PSOL é muito ruim de voto), será capaz de causar terremotos, jamais vistos.

O PT é analógico. O PSOL é digital.

Preparem-se agora para o PSOL versão 2.0.

O pior é saber que esse governo mambembe do tiozão do churrasco, com seu óbvio amadorismo na comunicação e com sua tênue base de sustentação no parlamento - formada metade por idiotas completos, metade por raposas oportunistas - não está preparado para esse tipo de oposição:

Enquanto estiverem preocupados em encontrar ideologia de gênero em brinquedos ou doutrinação marxista em professorinhas de pré-escola, a agência sediada dentro do Congresso estará aproveitando qualquer fiapo de oportunidade para provocar e/ou promover fatos midiáticos capazes de causar crises e comoções populares.

Os objetivos: promover agendas (LGBT, racismo, direitos humanos, índios, muitos índios; machismo, assédio, feminicídio, muito feminicídio; estudantes "ocupando" escolas ou fazendo passeatas por transporte grátis; questões ambientais se contrapondo ao agronegócio, muito, muito "aquecimento global") e inviabilizar o governo o quanto puderem.

E o Jean?

Ah, pobre Jean.

Fixará residência em alguma capital europeia e venderá a ideia de que é um auto exilado político, de um país sob um regime fascista, que não respeita os direitos das pessoas LGBT:

Sim, vai se dedicar a envergonhar o Brasil no exterior e certamente encontrará muita gente de mídia que acreditará nele e propagará sua narrativa mentirosa.

E, com certeza, será correspondente internacional do The Intercept.

Jean não perderá nada. Jean fez um bom trabalho, cedeu seu mandato e será bem recompensado.

Jean enganou vocês direitinho.

PS: eu agradeço se não receber nos comentários o link para a live de uma tiazinha de Curitiba que JURA que tem as "provas" de que o Jean é o "mandante" do assassinato do Bolsonaro;

Ninguém confiaria a um idiota como o Jean a missão de contratar um assassino, mesmo que fosse um assassino burro a ponto de tentar matar um candidato à Presidência, no meio de uma multidão, usando uma faca de cozinha.

Jean não mata nem barata (no máximo talvez cuspa nelas).

(Texto de Fábio Pegrucci).

Comentários