Moro desmente Jean Wyllys

Sempre elegante, lamentando a decisão do deputado Jean Wyllys de abandonar o país e não assumir o seu terceiro mandato na Câmara Federal, o ministro Sérgio Moro desmentiu a retórica adotada pelo parlamentar.

Em uma carta endereçada aos seus companheiros de partido, Wyllys alega que a Polícia Federal e o Estado brasileiro não tomaram nenhuma atitude com relação as ameaças à sua vida e à de sua família, que teriam se intensificado no ano passado.

Não obstante o atual governo tenha assumido a apenas 25 dias, o ministro demonstrou que a Polícia Federal tomou todas as atitudes necessárias para apurar as tais ameaças. Diversos inquéritos foram instaurados e uma das pessoas autora de ameaças contra Wyllys na internet foi identificada e presa.

Marcelo Valle Siqueira Mello, membro do grupo “Homens Sanctos”, que utilizava a identidade de Emerson Setim para ofender o parlamentar, foi identificado e preso.

Veja abaixo a íntegra da nota emitida neste sábado (26):

“Ao longo de 2017 e 2018, foram instaurados diversos inquéritos pela Policia Federal para apurar ofensas e ameaças contra o deputado federal Jean Wyllys. As investigações estão em andamento, mas já foi possível identificar um dos autores, Marcelo Valle Silveira Mello, preso em 2018, membro do grupo autointitulado “Homens Sanctos”, e que se servia da identidade de Emerson Setim para fazer ameaças ao deputado.
O Ministério da Justiça e Segurança Pública repudia a conduta dos que se servem do anonimato da internet para covardemente ameaçar qualquer pessoa e em especial por preconceitos odiosos.
Lamenta-se a decisão do deputado de deixar o pais, mas não corresponde à realidade a afirmação de que há omissão das autoridades constituídas.”
da Redação

Comentários