Só “Lava Toga” para solucionar crimes como os de Mariana e Brumadinho

A Justiça de Minas Gerais ordenou o bloqueio de R$ 1 bilhão nas contas da Vale; o Ministério Público de Minas Gerais pediu o bloqueio de outros R$ 5 bilhões; e o IBAMA multou a empresa no limite permitido de R$ 250 milhões pela tragédia em Brumadinho. Enquanto isso, a catástrofe de Mariana completou três anos e continua gozando de plena impunidade.

Eu pergunto: de que adiantam todas essas multas e bloqueios financeiros num país que tem togados garantidores de impunidade no Supremo Tribunal Federal (STF) e no Superior Tribunal de Justiça (STJ)? (Nem preciso citar nomes, porque sabemos bem quem são!)

Enquanto o Poder Judiciário do Brasil não sofrer um severo impacto de limpeza de seus quadros, repletos de corruptos e quadrilheiros do pior naipe, não vamos evoluir como civilização.

São eles a verdadeira lama que aniquila este País.

Não adianta dizer que a culpa pelas tragédias é do Presidente Jair Messias Bolsonaro, ou dos ex-Presidentes Michel Temer, Dilma Rousseff, Lula da Silva e Fernando Henrique Cardoso. Todos eles podem ter defeitos imensos e responsabilidades múltiplas. Entretanto, não cabem à Presidência da República Federativa do Brasil as funções típicas do Judiciário, tampouco vilipendiar a Separação de Poderes para punir financeira e criminalmente "peixes graúdos".

Ao Poder Executivo, nos termos da Constituição Federal, cabem apenas as medidas Administrativas (algumas financeiras, óbvio, mas que raramente são pagas e acabam inscritas na Dívida Ativa da União... e só!)

Portanto, é preciso ter força e coragem para realizar, com urgência, uma Operação Lava Toga. O Povo Brasileiro precisa se mobilizar em torno dessa exigência.

Caso contrário, Mariana e Brumadinho serão apenas mais dois capítulos sombrios de um livro de terror que compõe a História do Brasil.

#OperaçãoLavaToga JÁ!

Helder Caldeira

Escritor, Colunista Político, Palestrante e Conferencista
*Autor dos livros “Águas Turvas” e “A 1ª Presidenta”, entre outras obras.

Comentários