Quanto custa a prevenção? A diferença atroz entre uma barragem japonesa e uma barragem brasileira (Veja o Vídeo)

Quando falamos de "economia porca", muitas vezes falamos em Brasil e na forma de gestão de algumas empresas que se preocupam muito mais em distribuir dividendos entre os acionistas, do que fazer investimentos em prevenção.

A prevenção custa caro, mas garanto, custa infinitamente mais barato que o desastre. Hoje a Vale amarga uma enorme desvalorização na Bolsa e a desconfiança do mercado internacional com um prejuízo incalculável, graças à ineficiência de gestão. Uma lição que podia ter sido aprendida em Mariana, mas não foi.

Acima do prejuízo financeiro, cada vida perdida representa uma perda incalculável e impossível de ser medida em valores financeiros.

Assistam o vídeo abaixo e vejam que a solução sempre esteve disponível. O que faltava nas prateleiras e mesas dos diretores da VALE era boa vontade, e porque não dizer... competência.

Comentários