MDB e sua cavalgada na montaria do atraso e da corrupção

Em direção ao fundo do poço moral do país, em união de corpos com o petismo, o MDB, por maioria, escolheu o pior nome possível, o mais socialmente rejeitado, como seu representante na eleição para presidência do Senado Federal.

Uma verdadeira ode à burrice. Total desprezo à manifestação da vontade popular, ao desejo expresso pela sociedade nas urnas e ao clamor popular destes dias. Uma cavalgada na montaria do atraso e da corrupção.

Na eleição de outubro, o partido deixou seu candidato Henrique Meirelles com 1% e foi atrás de Haddad. O MDB, insaciável, queria mais PT. Sua bancada de senadores, contados os votos, caiu de 19 para 12. A de deputados federais, caiu de 66 para 34. Dos três governadores que conseguiu eleger, um é filho de Renan e outro de Jader Barbalho... Convenhamos, que quadros!

Eleito senador pelo cabresteado eleitor alagoano, Renan é um problema de Alagoas. Presidindo o senado é um problema do Brasil. E o MDB, vitorioso ou não, responderá politicamente por mais essa.

Breve (escrevo estas linhas às 13 horas do dia 1º de fevereiro) saberemos a quantos logrou conduzir por tão indignos caminhos.

Percival Puggina

Membro da Academia Rio-Grandense de Letras, é arquiteto, empresário e escritor e titular do site www.puggina.org, colunista de dezenas de jornais e sites no país. Autor de Crônicas contra o totalitarismo; Cuba, a tragédia da utopia; Pombas e Gaviões; A tomada do Brasil. Integrante do grupo Pensar+.

Comentários