Para se vingar de Simone, Renan ataca a honra do pai, o falecido Ramez Tebet

O mau-caratismo e a canalhice de Renan Calheiros são efetivamente insuperáveis.

Perigoso, traiçoeiro e indecente, sem a mínima postura, um completo desqualificado.

Não tenho dúvidas de que a fraude na primeira votação no Senado foi obra de Renan.

O sujeito é incapaz de jogar limpo.

E a própria senadora Simone Tebet havia dito, que na bancada do MDB só ela teve coragem de enfrentar Renan, uma figura monstruosa, que impõe o medo. Foi derrotada internamente, mas não esmoreceu.

A participação da senadora de Mato Grosso do Sul foi fundamental para consolidar a derrota do senador de Alagoas.

Paralelamente, a jornalista Dora Kramer publicou um artigo na Veja, intitulado “Ocaso dos Caciques”, criticando Renan, afirmando que o resultado foi o fim do último coronel, derrotado pela arrogância, o que impôs uma grande perda ao MDB.

Estava ai a chance que Renan precisava para se vingar de maneira vil de duas mulheres, Simone e Dora.

Numa postagem infame, o senador alagoano disse que foi chamado de arrogante porque fugiu dos assédios de Dora e que preferiu “encorajar Geddel e Ramez, que chegou a usar um membro mecânico para namorá-la”.

Não respeita a mulher e enxovalha alguém que já não está entre nós para se defender.

Ramez está morto, mas indiscutivelmente deixou um legado de honestidade e honradez, reconhecido em todo o estado de Mato Grosso do Sul e no Brasil. O pilantra queria atingir a filha.

Mas, uma coisa é certa, Ramez não possuía amizade com canalhas da estirpe de Renan e ninguém acredita mais no que este pulha diz, especialmente quando ataca a honra alheia.

Amanda Acosta

Articulista e repórter
amanda@jornaldacidadeonline.com.br

Mais de Amanda Acosta

Comentários

Leia mais...

Mais em Política