Cantor britânico do '#EleNão' defende ditadura de Maduro nas redes sociais

Na noite do último domingo (03), o ex-vocalista da banda Pink Floyd, Roger Waters saiu em defesa do genocida venezuelano Nicolás Maduro, em suas redes sociais.

Roger, lunático, acredita que o presidente americano Donald Trump planeja um golpe na Venezuela devido ao interesse pelo petróleo do país.

O cantor que já passou vergonha em seus shows em terras tupiniquins ao defender a campanha "EleNão", contra o então candidato Jair Bolsonaro, agora escancara sua hipocrisia ao defender tiranos, ao mesmo tempo que diz combater o autoritarismo.

No Twitter, diversos de seus fãs e seguidores notaram essa discrepância em seu discurso. Uma delas, foi a publicação da usuária @raticorns, que obteve o maior número de curtidas. Ela escreveu:

"Estou chorando. Meu maior ídolo da música está defendendo um governo que arruinou meu país e minha família e que me forçou a sair de lá em busca de qualidade de vida. Roger, você não tem ideia do que está acontecendo na Venezuela, você não conhece as nossas leis e não sabe o quão miserável está a atual situação. Isso não é uma questão de esquerda versus direita. Pessoas estão morrendo de fome, temos a maior inflação do mundo, faltam medicamentos, e temos o maior índice de criminalidade da América Latina. "Entendo que você não goste do Trump, entendo que as políticas e crenças dele são, na maior parte do tempo, questionáveis e erradas. Mas isso não é sobre os Estados Unidos, não é sobre vocês, é sobre nós. E nós precisamos de ajuda" - relata a moça.

Roger Waters parece viver fora da realidade: escolheu ser bobo da corte de ditador.

da Redação

Comentários

Leia mais...

Mais em Opinião