Ministro suspeito é demitido por Bolsonaro, mas vai retornar ao cargo

A denúncia de que durante a campanha o então candidato Marcelo Álvaro Antônio fez uso de “laranjas” para se apropriar da cota feminina do fundo eleitoral, custou-lhe o cargo de Ministro do Turismo.

Decreto publicado nesta terça-feira (5) no Diário Oficial da União procede a exoneração do ministro.

Assinaram o decreto o Presidente da República e o Ministro da Justiça.

Marcelo Antônio foi o deputado mais votado em Minas Gerais no último pleito. Diante de sua exoneração retorna para a Câmara Federal na bancada do PSL.

Atualização: O G1 acaba de publicar uma versão que diz que o ministro teria sido exonerado tão somente para tomar posse na Câmara Federal.

Já o site O Antagonista diz o seguinte: "O presidente da República, em decreto assinado por ele e por Sergio Moro, fez a coisa certa: afastou imediatamente o ministro suspeito."

O próprio demitido tuitou e garantiu que volta ao cargo:

Fontes do Planalto confirmaram o retorno de Marcelo Álvaro Antônio para o ministério.

A alegação é de que não existe ainda qualquer acusação formal.

da Redação

Comentários