Briga no PT: Haddad e Gleisi se estranham em reunião da executiva

Fernando Haddad e Gleisi Hoffmann nunca se deram bem, mas sempre se toleraram, nunca tiveram um confronto direto.

As desavenças se resumiam a troca de farpas e sabotagem, pura pilantragem de ambos os lados. Uma disputa medíocre pelo protagonismo e pela preferência do presidiário.

A ida de Gleisi a posse do ditador Nicolas Maduro foi o ponto escolhido por Haddad para espezinhar a deputada.

Segundo o Estadão, questionado sobre suas considerações com relação a ida da presidente petista a posse de Maduro, Haddad teria argumentado que suas críticas à viagem de Gleisi foram de "método e não de mérito".

Indomável, a insana deputada deu o troco:

"Eu discordo dele. Acho que não é só questão de método. Tem um fundo político nisso. O PT tem que discutir, mas já temos uma posição pública que é a defesa da autodeterminação dos povos, da soberania e do reconhecimento do resultado das eleições."

Ao final da reunião, a hipocrisia voltou a reinar. Gleisi elogiou o ex-prefeito pelos mais de 47 milhões de votos recebidos na eleição presidencial e Haddad retribuiu com um beijo no rosto da deputada.

da Redação

Comentários