Gilmar considera fiscalização da Receita como “ataque reputacional”

Todo cidadão brasileiro está sujeito a uma fiscalização da Receita Federal.

Uma autoridade como Gilmar Mendes deveria se sentir envaidecido ao ser fiscalizado e poder ter a chance de demonstrar que age de acordo com o que determina a lei.

Não. Faz o contrário. Movimenta a República bradando um suposto ‘ataque reputacional’, segundo ele “contra todo o Poder Judiciário nacional”.

Ora, um absurdo, atitude própria de quem anda fazendo coisa errada.

Eis o que disse o todo poderoso:

“O que causa enorme estranhamento e merece pronto repúdio é o abuso de poder por agentes públicos para fins escusos, concretizado por meio de uma estratégia deliberada de ataque reputacional a alvos pré-determinados. Tal estratégia revela-se clara no presente caso, em que ilações desprovidas de qualquer substrato fático são feitas não apenas em relação a minha pessoa, mas em relação a todo o Poder Judiciário nacional”.

Será que os demais magistrados do país concordam com esse ser que se julga intocável?

Comentários