O Supremo Tribunal Federal no banco dos réus (Veja o Vídeo)

Decisões pendulares, esdrúxulas, inconsistentes, que semeiam insegurança jurídica.

Ativismo judiciário e político partidário individual e privado, com quebra do princípio da colegialidade.

Libertação de presos condenados em segunda instância, contrariando a jurisprudência plenária.

A soltura de pessoas poderosas com a concessão de liminares seletivas em benefício de líderes envolvidos até o pescoço com corrupção.

Celeridade para processos que são colocados em julgamento e recebem despachos em tempo recorde, em detrimento de outros, numa nítida demonstração de que existe tráfico de influência nos corredores do Supremo Tribunal Federal, onde se pode advogar de bermudas e camiseta regata.

José Dirceu livre é um escândalo.

Manuseio de liminares para tentar libertar o ex-presidente Lula.

Acusações consistentes e verossímeis contra ministros de envolvimento direto e/ou indireto com atos de corrupção.

O STF, através de alguns dos seus ministros, está sob suspeição.

A nação inicia uma pressão para os fatos virem à tona e as entranhas da Corte Constitucional serem expostas de forma republicana.

A mobilização da nação começou e não vai ter fim.

A figura do impeachment (com pedidos já formalizados junto ao Senado da República contra alguns ministros) não é um devaneio, nem um desatino ou uma utopia. É uma realidade que precisa e será enfrentada.

O Brasil precisa ser passado a limpo. E o Supremo Tribunal Federal não pode ficar fora dessa assepsia. Lava-toga, já!

Com impedimento e retirada dos laranjas podres que decompõe e deterioram as instituições de Estado.

Assista ao meu vídeo:

Luiz Carlos Nemetz

Advogado.Vice-presidente e Chefe da Unidade de Representação em Santa Catarina na empresa Câmara Brasil-Rússia de Comércio, Indústria e Turismo e Sócio na empresa Nemetz & Kuhnen Advocacia.
@LCNemetz

Comentários