Lula, intimado da sentença, ao exarar a assinatura, escreve um recado para a juíza

Mesmo condenado, o presidiário não perde a empáfia, nem a ousadia.

Ainda se diz inocente, mesmo com tantas provas, inúmeros testemunhos e delações.

O que vale é o ato político.

Assim, escreveu no documento que o intimava da sentença do caso do sítio de Atibaia:

“Não reconheço a legitimidade dessa sentença, sou inocente, por isso, vou recorrer”.
da Redação

Comentários