Wagner Moura ganha em Berlim somente o beijo de Jean Wyllys

O ator Wagner Moura, debutando como diretor com o filme “Marighella”, já tem o seu primeiro fracasso com a produção. Ou, pelo menos, sua primeira decepção.

Moura saiu de Berlim com as mãos abanando e o filme foi alvo de protestos.

A rigor, a produção "Marighella" foi exibida em caráter hors concours - assim saiu da Berlinale sem prêmios oficiais.

De todo modo, o que se antevê é um fracasso nas bilheterias brasileiras.

A farsa montada por Wagner Moura, tentando transformar o guerrilheiro Carlos Marighella em herói, não está sendo bem vista no país.

Em Berlim, Moura teve que se consolar com tão somente o "selinho" do ex-deputado Jean Wyllys.

Veja abaixo, os vencedores do Festival de Berlim:

Filme: "Synonyms", de Nadav Lapid

Grande Prêmio do júri: "Grâce à dieu", de François Ozon

Prêmio Alfred Bauer: "System crasher", de Nora Fingscheidt

Direção: Angela Schanelec, por "I was at home, but"

Atriz: Mei Yong, por "So long, my son"

Ator: Jingchun Wang, por "So long, my son"

Roteiro: "La paranza dei bambini" (Roberto Saviano, Maurício Barucci e Claudio Giovannesi)

Contribuição artística: "Out stealing horses" (fotografia de Rasmus Videbaek)

Documentário: "Talking about trees", de Suhaib Gasmelbari

Diretor estreante: Mehmet Akif Buyukatalay, por "Oray"

Curta-metragem: "Umbra", de Florian Fischer e Johannes Krell

Curta (prêmio do júri): "Blue boy", de Manuel Abramovich

Curta (prêmio Audi): "Rise", de Barbara Wagner e Benjamin de Burca

da Redação

Comentários

Leia mais...