Um recado para Augusto Marighella, o filho de Marighella... extensivo a Wagner Moura e Seu Jorge

“O Brasil detesta tirania, isso não combina com o nosso país”. disse Augusto Marighella, filho do Carlos Marighella, em palestra na Unicamp em agosto de 2013.

Mas a que tirania você se referiu, Sr. Augusto?

Se tomada ao pé da letra, a sua frase até que faz sentido. Realmente odiamos a tirania e foi justamente por isso que os militares combateram aqueles, como o seu pai, que queriam instalar aqui uma ditadura socialista/comunista, que se tivesse dado certo, estaríamos hoje no mesmo nível da "democracia" de Cuba e Venezuela.

O Brasil odeia também os marginais como o seu pai, que em seu manual de guerrilha urbana, na página 7, prega (SIC) "A exterminação física dos chefes e assistentes das forças armadas e da polícia e a expropriação dos recursos do governo e daqueles que pertencem aos grandes capitalistas, latifundiários, e imperialistas, com pequenas expropriações usadas para o mantimento do guerrilheiro urbano individual e grandes expropriações para o sustento da mesma revolução (leia-se assassinatos, invasões e roubos)"

Já na página 13, Sr. Augusto, seu pai afirma que "o tiro é a razão da existência do guerrilheiro urbano"; Na sequência ele ensina sobre a utilização de armas e explosivos contra inocentes. O nome disso não é tirania?.

Na página 29, Sr. Augusto, seu pai pregava a "democracia" de usar meios como (SIC) assaltos, invasões, ocupações, emboscadas, táticas de rua, greves e interrupções de trabalho, deserções, desvios, tomas, expropriações de armas, munições e explosivos, libertação de prisioneiros, EXECUÇÕES, sequestros, sabotagem, terrorismo, propaganda armada e guerra de nervos.

Que maravilha, não é? Ele era "tudo de bom". Me espanta o tal manual não ter como título MANUAL DO MARGINAL PERFEITO.

Graças ao seu manual, hoje vemos o crime organizado estabelecido e aterrorizando a população, pois aprenderam tudo com os seguidores do seu pai, já que a cooptação de marginais comuns também constava das instruções passadas por ele.

Segundo seu pai, Sr. Augusto, na página 44 ele diz que "o objetivo da sabotagem é para doer, danificar, deixar sem uso e para destruir pontos vitais do inimigo assim como a economia de um país; a produção agrícola e industrial; sistemas de comunicação e transporte; sistemas policiais e militares e seus estabelecimentos e depósitos; o sistema repressor do sistema militar-policial e empresas e propriedades norte-americanas no país.

Trocando em miúdos, pela ideologia dele que se danasse a vida do brasileiro e a nação, e que tudo e todos fossem destruídos, desde que fosse em prol de sua vitória.

Logo, seu pai não foi "assassinado pela repressão" como a esquerda prega. Foi em combate e no contra-ataque ao tiro que ele pregava. E certo fizeram as forças de segurança em eliminar um psicopata perigoso e traiçoeiro, que queria pela força e pela imposição estabelecer no Brasil a tirania que você disse que nós odiamos.

E quanto a vocês, Wagner Moura e Seu Jorge, vocês pra nós, brasileiros, são dois pulhas intelectualmente desonestos do mesmo quilate de Marighella. A diferença é que vocês usam a história distorcida para atingir seus objetivos, porque são covardes o suficiente para não usarem os métodos ensinados pelo ídolo de vocês.

Pra quem quiser conferir no MINI MANUAL DA GUERRILHA URBANA se algum dado apresentado aqui é mentira, está aí disponível pra vocês.

Só tome um engov antes, porque dá vontade de vomitar.

Manual do Guerrilheiro Urbano

Comentários