TCE

Análise elucidativa sobre as Fake News da grande mídia no caso Bolsonaro - Bebianno

1. Introdução:

Nos últimos dias, você certamente viu, leu e ouviu nos principais veículos de imprensa do país que os áudios vazados por Gustavo Bebianno desmentiram Jair Bolsonaro e seu filho Carlos.

Nesta postagem pretendo demonstrar, também com print screens e comentários feitos diretamente neles (anexos), que Bolsonaro e seu filho não mentiram em relação a Bebianno, e, ao contrário, mentiram, ou erraram, Bebianno e quase toda a grande mídia, Folha, Globo, Estadão, Exame, Diogo Mainardi e, inclusive, o bom Felipe Moura Brasil.

2. O contexto:

No dia 12/02/19 saiu em O Globo uma matéria intitulada "'Falei com o presidente três vezes hoje', diz Bebianno após rumores de crise no governo" (Link 1 e Print 1), na qual o ministro negava ser motivo de instabilidade no governo. Como prova da inexistência da crise, afirmou: "Não existe crise nenhuma. Só hoje falei três vezes com o presidente".

Print 1
Print 1

A matéria, num dado trecho, relata que Bolsonaro e Bebianno teriam conversado sobre vários assuntos, sem citar todos eles. E, no parágrafo seguinte, começa a tratar da acusação sobre Bebianno a respeito de candidaturas laranjas do PSL, feita em reportagem da Folha do final de semana anterior.

Vê-se, de saída, que o contexto todo da matéria, tanto pela data em que foi publicada (logo após a divulgação da Folha sobre o escândalo dos laranjas), como pelo seu próprio teor, era de que Bebianno estaria negando a existência de crise no governo oriunda da questão do "laranjal do PSL", e a inexistência da crise estaria comprovada pelo fato de que ele já havia conversado 3 (três) vezes com Bolsonaro.

3. O que disseram Carlos Bolsonaro e seu pai:

No dia seguinte, 13/02/19, Carlos Bolsonaro publicou em sua conta no Twitter que tinha estado 24h do dia ao lado do seu pai e que seria "uma mentira absoluta de Gustavo Bebbiano que ontem teria falado 3 vezes com Jair Bolsonaro para tratar do assunto citado pelo Globo e retransmitido pelo Antagonista" (Link 2 e Print 2).

Print 2
Print 2

Note-se que Carlos Bolsonaro não disse que Bebianno e o pai não teriam se falado 3 (três) vezes. O que ele disse foi que os dois não se falaram "para tratar do assunto citado pelo Globo e retransmitido pelo Antagonista".

Jair Bolsonaro confirmou o que falou Carlos.

4. Qual era "o assunto" que Carlos Bolsonaro disse que não foi conversa entre o presidente e Bebianno:

É verdade, não está expresso no tweet publicado qual teria sido esse "assunto", que, segundo Carlos, Bolsonaro e Bebianno não teriam conversado. Mas com um esforço mínimo de interpretação é possível concluir, em primeiro lugar, que não eram todos os assuntos, mas um assunto específico; segundo, deduz-se o evidente: o assunto era justamente a questão das candidaturas laranjas do PSL, isto é, o fato recente divulgado pela Folha e que poderia estar gerando uma crise no governo.

Ora, a nota publicada pelo site O Antagonista (Link 2.1), diz o seguinte: "'Não existe crise nenhuma', diz Bebianno. Gustavo Bebianno negou que seja motivo de instabilidade no governo, registra O Globo. 'Não existe crise nenhuma. Só hoje falei três vezes com o presidente', disse à noite o ministro da Secretaria Geral da Presidência".

Logo, pela nota do Antagonista, segundo Bebianno, não haveria crise no governo, porque já tinha conversado com o presidente. E esta crise, que não existiria, era justamente aquela decorrente do "laranjal do PSL". Não havia outra divulgada na data.

5. O próprio Jornal Nacional reconheceu o contexto óbvio:

Na reportagem do dia 19/02/19, já após a divulgação dos áudios de Whatsapp, o próprio Jornal Nacional reconheceu, conforme print screen anexo, o contexto (óbvio) de que a fala do Bebianno a respeito das tais 3 (três) conversas que teve com Bolsonaro foi no sentido de abafar a ideia de crise causada pela exposição do "laranjal do PSL", no qual estaria envolvido o então ministro (Link 3, Print 3).

Print 3
Print 3

Ou seja, Bebianno e o contexto de sua fala claramente deram a entender que ele tinha conversado com Bolsonaro sobre a questão dos candidatos laranjas do PSL, e, então, estaria tudo OK para o presidente a esse respeito. Bolsonaro entendeu que estava sendo utilizado de escudo por Bebianno.

Foi precisamente isto que Bolsonaro e seu filho disseram que era mentira, não meras 3 (três) conversas quaisquer (como parte da imprensa tentou fazer parecer, conforme veremos logo mais).

6. A mentira de Bebianno:

Ocorre que os áudios divulgados mostram que Bebianno não tinha conversado com Bolsonaro sobre a questão das candidaturas laranjas e que, ao contrário, havia, sim, um clima de tensão entre os dois, a todo momento o Bolsonaro repreendendo o ministro.

De modo que outra mentira do Bebianno foi afirmar que "não havia crise" dele com Bolsonaro, enquanto que os áudios mostram claro conflito entre os dois. Isto é, Bebianno mentiu, sim.

7. As Fake News de quase toda a grande mídia:

Sobre o fato, entendendo, ou fingindo entender, que Bolsonaro teria dito que não havia conversado nada com Bebianno, o que nem o presidente e nem Carlos disseram, quase todos os maiores veículos da imprensa nacional noticiaram que os áudios vazados por Bebianno teriam "desmentido" ou "confrontado" Carlos Bolsonaro e seu pai, simplesmente porque mostravam a troca de mensagens de áudio no Whastapp entre o presidente e o então ministro (algo que ninguém tinha negado).

A verdade, no entanto, é o oposto. Os áudios mostraram que, de fato, (1) inexistiu, antes do post de Carlos, conversa entre Bolsonaro e Bebianno sobre as candidaturas laranjas do PSL e, (2) a situação não estava boa no governo quanto a isso, de maneira que Bebbiano estava, sim, causando instabilidade por essa e outras razões (ao contrário do que tinha falado à imprensa o ministro)

Mentiram, ou erraram gravemente: a Globo (Link 4, Print 4), o Estadão (Link 5, Print 5), a Folha (Link 6, Print 6) e o Exame (Link 7, Print 7), dentre outros.

É absurdo e abjeto que esses veículos, que ainda contam com grande índice de audiência, possam enganar um país inteiro assim, sempre apresentando apenas uma versão dos fatos. É óbvio que eles deveriam, no mínimo, ter tratado o caso como passível de dificuldades interpretativas, e com diferentes perspectivas possíveis.

8. O erro CRASSO do ótimo Felipe Moura Brasil:

Até Felipe Moura Brasil erra de vez em quando. No caso dele, afastada de plano a possibilidade de má-fé.

Conforme publicado em outros veículos e também em seu Twitter (Link 8, Print 8), Felipe entendeu que naquela matéria originária do Globo, a que Carlos reagiu, nada teria sido dito "de Bebianno ter falado com Bolsonaro sobre denúncias do PSL", diz Moura Brasil. "Tema era outro".

Print 8
Print 8

Ou seja, para o jornalista, quando Bolsonaro disse que Bebianno estaria mentindo, seria no sentido de que não teria havido qualquer conversa com o ministro, sobre qualquer assunto, não necessariamente sobre a história da crise do laranjal do PSL.

Eis o imenso erro do Felipe: desconsiderar o contexto da fala do Bebianno. Porque o tema não "era outro". A matéria foi publicada logo após divulgação da folha sobre esquema de laranjas envolvendo Bebianno, algo que estava causando instabilidade no governo. Incorreu assim, o Felipe, em um literalismo do tipo que ele sempre criticou.

Ao contrário do que Felipe afirmou e tem afirmado, na matéria de O Globo fica claro o contexto de que a afirmação de Bebianno sobre as tais 3 (três) conversas com Bolsonaro era, sim, no sentido de que teriam conversado sobre o problema do laranjal, e, por isso, estaria tudo acertado com o presidente – e tal conversa não houve.

Tanto que, repita-se, nessa matéria d'O Globo, logo após a fala do Bebianno sobre as 3 (três) conversas e a inexistência de crise, segue um parágrafo justamente sobre... a questão dos laranjas!

Mais uma vez: não é que Felipe, assim como a imprensa, não poderiam ter interpretado a coisa de maneira meramente literal, desconsiderando todo o contexto em questão. É uma interpretação possível, embora evidentemente a pior. O que eles deveriam ter feito é concedido espaço para versões diferentes, mostrando também a sua possibilidade, ao invés de acusar uma mentira do Bolsonaro que, neste caso, não houve.

9. Observação final:

A exposição desses fatos, e da abjeta e inaceitável distorção de parte da imprensa, não significa o meu apoio ao presidente Jair Bolsonaro e a seu governo, mas apenas uma repulsa à mentira e à manipulação manifestas.

(Texto de Gustavo A. P. Santos, Mestre em Direito)

Publicado originalmente no Facebook do autor.

Link 1: https://oglobo.globo.com/…/falei-com-presidente-tres-vezes-…

Link 2: https://twitter.com/CarlosBolson…/status/1095698138382389249

Link 2.1: https://www.oantagonista.com/…/nao-existe-crise-nenhuma-di…/

Link 3: https://g1.globo.com/…/revista-divulga-audios-com-troca-de-…

Link 4: https://g1.globo.com/…/20/bolsonaro-perdeu-credibilidade.gh…

Link 5: https://www1.folha.uol.com.br/…/audios-confrontam-versao-de…

Link 6: https://politica.estadao.com.br/…/geral,bolsonaro-mentiu-ao…

Link 7: https://exame.abril.com.br/…/audios-entre-bebianno-e-bolso…/

Link 8: https://twitter.com/BlogDoPim/status/1096543206563631107

Print 4
Print 4
Print 5
Print 5
Print 6
Print 6
Print 7
Print 7

Comentários

Leia mais...

Mais em Política