O engodo de que os Estados Unidos querem levar vantagem por conta do petróleo venezuelano

Antes de acreditar que os Estados Unidos querem prejudicar ou levar vantagem sobre a Venezuela por conta de sua riqueza em petróleo, convém saber alguns detalhes:

1. A Venezuela responde por 6,64% do total de importação de óleo e derivados dos EUA e por 7,75% da importação de óleo cru.

É a quarta fornecedora de óleo aos norte-americanos, atrás do Canadá, do México e da própria produção interna dos EUA. O Canadá, aliás, é de longe o maior parceiro norte-americano, com 40% de participação.

FONTE: https://bit.ly/2VaTAiu

2. A participação da Venezuela entre os principais fornecedores dos EUA vem caindo desde 1997, quando foi de 1,77 milhões de barris/dia, até 2017, quando chegou a 674 mil barris/dia.

FONTE: https://bit.ly/2BN8tAk

3. A dependência externa de petróleo dos EUA caiu acentuadamente nessa última década em função de uma série de fatores: aumento da produção interna, adição de etanol à gasolina e aumento da adoção de carros elétricos e híbridos.

FONTE: https://bit.ly/2IA0NXV

4. A produção na Venezuela despencou do patamar de 3,3 milhões de barris/dia em 1997 para 1,9 milhōes de barris em 2017 como resultado das políticas bolivarianas da dupla Hugo Chavez/Nicolás Maduro, que expulsaram empresas estrangeiras do país.

FONTE: https://bit.ly/2E8eZC9

5. O total de exportações da Venezuela em 2017 foi US$ 27,8 bilhōes. Os EUA compraram 42% deste total, a China 23% e a India 13%. Ou seja, a Venezuela é amplamente dependente dos petrodólares norte-americanos.

FONTE: https://bit.ly/2T3jZm0

Portanto, se alguém depende de alguém nessa equação, com certeza não são os EUA da Venezuela.

(Texto de Ivelise Maria)

Publicado no perfil da autora no Facebook

Comentários