TCE

Bolsonaro faz mídia 'chorar' por falta de verba publicitária do governo

Sem teta do governo para mamar, grandes empresas de comunicação entram em desespero

Notícia que vi nos portais Terra e Estadão nesta segunda-feira (25): “Governo Bolsonaro ainda não tem plano de comunicação. Perto de completar dois meses, gestão segue sem uma estratégia definida de divulgação”.

Na realidade, a chamada quer dizer: Bolsonaro não liberou verba de publicidade. Mídia está em desespero porque não tem estratégia definida para sobreviver sem mamar na teta do Estado.

Portanto, não esperem boas notícias sobre o governo nesses veículos de comunicação tão cedo. Derrubar Bolsonaro ou, no mínimo, impedir que ele se reeleja, é questão de vida ou morte para essas empresas, que neste momento possuem interesses em comum com diversos outros setores.

A verba - Com orçamento de R$150 milhões para a Secretaria de Comunicação aprovado para 2019, além das promessas de Bolsonaro de revisar contratos, reduzir ainda mais a verba para 2020, e privatizar a maioria das estatais, os grandes veículos acostumados a mamar no bolso do contribuinte têm mesmo motivo para preocupação.

Minha opinião: não sou contra o governo investir em publicidade, mas 1) não pode ser a festa que foi no governo petista, quando os gastos chegavam a bilhões de reais por ano; 2) a maior parte mídia não tem moral, logo, fazer publicidade através dela pode ser um tiro no pé, passando a impressão de que o governo se tornou igual a todos os outros.

Bolsonaro deve manter a estratégia não convencional que usou na campanha, com redes sociais, e usar a mídia tradicional apenas naquilo que for indispensável, divulgando com total transparência os valores e finalidades de cada contrato antes da veiculação de cada campanha. Bolsonaro foi eleito para ser contra o sistema, e assim deve se manter. Se arregar, perderá apoio popular e será engolido. Ele que tome cuidado com os conselhos dos “especialistas”.

Herbert Passos Neto

Jornalista. Analista e ativista político.

Comentários